Quanto custa uma viagem de mota a Marrocos? A nossa estimativa com todas as despesas incluídas

Quanto custa uma viagem de mota a Marrocos

Quanto custa uma viagem de mota a Marrocos?

Se tem em mente uma viagem de mota a Marrocos, partilhamos alguma informação prática sobre os custos inerentes a uma aventura ao país do deserto. É uma das questões que mais nos colocam e à qual decidimos agora, partilhar a nossa resposta.

É sempre difícil fazer uma estimativa dos custos de uma viagem que tenha em conta as necessidades e exigências em viagem de cada um. Os gastos dependem bastante das escolhas de alojamento e locais para refeições. Mas como sempre referimos, também Marrocos têm opções para todos os gostos e carteiras.

Partilhamos os conceitos que seguimos, assim como todas as dicas e detalhes que consideramos importantes para calcular o preço final de uma viagem de mota a Marrocos.

Viagem de mota a Marrocos. Em Gorges du Dadès.
Viagem de mota a Marrocos. Em Gorges du Dadès.

Escolha de alojamento e refeições em Marrocos

Alojamento e refeições são parcelas importantes de qualquer viagem e Marrocos não é excepção. Existem duas opções principais para encontrar alojamento no país, ambas com os respectivos prós e contras:

♦Reservar antes da viagem

♦Negociar com os locais durante a viagem

Reservar antes da viagem

Esta é sempre a nossa opção quando definimos uma viagem de mota. Uma escolha pessoal e a nossa maneira de evitar perdas de tempo, argumentações com locais e surpresas desagradáveis.

Para nós, além de outros critérios, um alojamento com garagem fechada para a mota é uma opção da qual não abdicamos, e a melhor maneira de o garantir é reservando antecipadamente.

Viagem de mota a Marrocos. Em Gorges du Dadès.
Parque de estacionamento privado num alojamento tradicional marroquino.

Vantagens

  • Possibilidade de escolha atempada nas plataformas de reserva (Booking.com)
  • Consulta de classificações de outros viajantes (limpeza, conforto, qualidade, etc)
  • Garantia de parque no local
  • Evita preocupações e perda de tempo com procura de alojamento durante a viagem
  • Garantia de disponibilidade

Desvantagens

  • Preço superior
  • Roteiro pouco flexível
  • Menos convívio com os locais

Negociar com os locais durante a viagem

Muitos companheiros optam por negociar com os locais durante a viagem. Com o roteiro mais ou menos definido, no final do dia na chegada ao destino reservam algum tempo para procurar opções de alojamento.

Na realidade não precisa de procurar muito, pois assim que pára a mota terá logo em seu redor algum marroquino a propor-lhe estadia no seu alojamento ou no de alguém com quem divide comissões.

Para nós, esta é uma situação com a qual não nos sentimos confortáveis. Não temos paciência para argumentar com os marroquinos e não gostamos de seguir alguém que não conhecemos até locais que desconhecemos o paradeiro. Por sua vez, se para si faz parte da diversão negociar com um marroquino, esta é a opção ideal.

Vantagens

  • Preço inferior
  • Roteiro flexível
  • Possibilidade de conviver com os locais

Desvantagens

  • As condições de higiene são uma surpresa que só descobrirá no local
  • Sem garantia de parque
  • Sem garantia de refeições próximas
  • Negociar com os marroquinos

Dica:

Na nossa chegada no final de dia à grande cidade de Fez, tivemos alguma dificuldade a encontrar o local exacto do alojamento. O GPS indicava-nos um local errado e apesar de próximos, não fazíamos ideia como encontrar o nosso hotel por entre tanto recanto.

Enquanto aguardávamos que o proprietário do alojamento chegasse até nós para nos conduzir ao local, fomos abordados por algumas dezenas de crianças, adolescentes e pequenos adultos em simultâneo que nos ofereciam ajuda.

Apesar de estarmos perdidos do alojamento eleito, não estávamos assim tão perdidos dentro  do mapa da cidade e sabíamos exactamente que nos tentavam conduzir a locais opostos ao que pretendíamos.

Poderia ser apenas uma maneira do nos levar a um local de pernoita onde recebessem comissões ou onde se situasse o negócio de família, mas as perguntas sobre o valor da mota que conduzíamos e se seria muito pesada, levaram-nos a imaginar cenários perigosos.

Em especial dentro das grandes cidades, onde por todo o mundo é necessária atenção redobrada com a segurança, não facilite e não siga pessoas que não conhece nestas situações. 

Locais para refeições em Marrocos

No que às refeições diz respeito, recorrer à reserva antecipada de alojamento é também uma boa maneira de garantir o jantar no local. Na sua maioria, os alojamentos não incluem restaurante, apenas a opção de refeições no local, exclusiva aos hóspedes e sob reserva.

Se está numa cidade marroquina esta opção não é importante. Pode deslocar-se a pé ou de táxi para fazer uma refeição fora do alojamento.

Mas a situação mais comum por Marrocos, é o nosso roteiro levar-nos aos locais mais isolados e ás aldeias mais pequenas, por onde conduzir de mota de noite não é aconselhado. Desta forma, a opção de jantar no local do alojamento torna-se importante.

Viagem de mota a Marrocos. Em Gorges du Dadès.
Sala de refeições para hóspedes num alojamento tradicional marroquino.

As nossas opções de refeições por Marrocos basearam-se na maioria em jantares nos locais eleitos para pernoitar. Com o preço a variar entre os 10€ a 15€ por pessoa por uma refeição completa (entradas, sopa, prato principal, sobremesa e bebidas), é sem dúvida a opção que mais recomendamos para desfrutar de um delicioso e tranquilo manjar marroquino.

Durante o almoço e em função do local, alternámos refeições por áreas de serviço pelo caminho, piqueniques de pão marroquino e conservas e enchidos que levámos nas bagagens.

Nos dias que passámos nas grandes cidades de Fez e Marraquexe, almoçámos pelos pequenos restaurantes e tasquinhas das medinas (opção que menos nos encantou). Nestes locais, por onde os turistas são mais do que os locais, os preços facilmente atingem valores europeus por refeições de fraca qualidade. É necessário estar atento e escolher com critério, tendo especial atenção às condições de higiene que facilmente falham.

Viagem de mota a Marrocos.
Restaurante no centro da medina de Marraquexe.

Para conhecer a nossa escolha de alojamento e locais para refeições em Marrocos, consulte aqui o nosso roteiro.

Travessia de ferry ⇒ Espanha – Marrocos – Espanha

Existem pelo menos 3 maneiras de chegar a Marrocos através do Sul de Espanha. Uma rápida travessia com duração máxima de 2h e mínima de 45 min, consoante o ferry eleito. Os preços variam consoante a companhia e o porto escolhido, mas estimamos um valor de 200€ para ida e volta. Pode consultar os valores reais para as datas da sua viagem aqui

Rota 1 – Tarifa – Tanger Ville

Rota 2 – Algeciras – Tanger Med

Rota 3 – Algeciras – Ceuta

Viagem de mota a Marrocos.
Viagem de mota a Marrocos. Porto de Tarifa. O ferry rápido da companhia FRS

Dicas:

A Rota 1 foi a por nós eleita para realizar a travessia rápida através da companhia de ferry FRS. Por ser realizada por um barco menor e mais rápido, é mais facilmente condicionada pela agitação marítima na data da travessia. É uma situação impossível de prever com antecedência, pelo que sugerimos que opte por um bilhete flexível entre o porto de Tanger Med e Tanger Ville.

A Rota 2 foi a nossa rota de recurso no regresso. As condições meteorológicas complicaram as travessias em ambos os portos, mas depois de várias comédias marroquinas, foi em Tanger Med, o grande e novo porto de Marrocos, que conseguimos voltar a Espanha.

A Rota 3 apresenta na maioria das vezes preços bastante inferiores. Na nossa opinião pessoal é a que menos recomendamos. Por se tratar de uma travessia de Espanha até Ceuta, ainda território espanhol, as formalidades da alfândega e travessia da fronteira poderão ser mais complicadas. Dependem de com quem se cruzar e do aglomerado de pessoas em redor na data. Gostamos sempre de evitar maiores complicações (e algumas gorjetas) e por isso optamos pelas opções mais simples. Na Rota 1 e Rota 2, a passagem pelo controle de passaportes é realizada dentro do próprio ferry facilitando a entrada no país.

Para conhecer mais detalhes sobre a travessia de ferry para Marrocos e a documentação necessária para entrar no país, consulte aqui o nosso roteiro.

Passeios disponíveis 

Uma viagem de mota a Marrocos é por si só um grande passeio pelo país e uma grande aventura. Mas se pretende conhecer alguns locais míticos onde a sua mota não chegará, comprar os passeios no local é o que recomendamos.

Alguns dos mais procurados são os que nos levam ao deserto. Seja num passeio de camelo ao pôr-do-sol, dormir em tendas no deserto ou num passeio de jipe entre as dunas, opções não faltam.

Na nossa estadia na região de Merzouga, negociamos localmente os passeios disponíveis sem grandes dificuldades. Os preços variam bastante e apenas podemos recomendar que se dirija directamente ás agências dispostas pelas vilas. Pode comprar directamente no seu hotel ou riad, mas os preços estarão a considerar a soma de comissões mais elevadas.

Passeios off road pelas pistas do deserto

Esta foi uma experiência que não tivemos e sobre a qual pouco podemos informar. Podemos apenas referir que nos cruzámos diversas vezes com grupos guiados pela empresa Wheels of Morocco, que nos pareceu uma excelente referência para uma aventura off road, entre outras.

Viagem de mota a Marrocos.
Viagem de mota a Marrocos.

Estimativa de custos de viagem

Duração: 11 dias

Quilómetros aproximados: 3500 km

  • 250 € Combustível ( Portugal 500 km gasolina ±1.50 €/l,  Espanha 1000 km gasolina ± 1.25 €/l,Marrocos 2000 km gasolina ± 1.05 €/l)
  • 500 € Média 50€/noite em alojamento 2 pessoas quarto privado com pequeno almoço (Hóteis, Riad’s, etc).
  • 200 € Ferry Espanha – Marrocos – Espanha Travessia de ida e volta para 2 pessoas e 1 mota.
  • 100 € Passeios no deserto (Passeio de camelo no deserto para o pôr-do-sol, Passeio de jipe nas dunas do Erg Chebbi)
  • 300 € Alimentação

Total aproximado para 2 pessoas 1 mota = 1350 €

Com o custo aproximado do valor total da viagem, deixamos as nossas anteriores publicações com todos os detalhes da marcação do roteiro, alojamentos eleitos, melhores estradas e todas as dicas práticas e informações de viagem de mota a Marrocos.

Roteiro de viagem de mota a Marrocos

Algumas informações práticas sobre Marrocos

Entre Dadès, Agoudal e Todgha num percurso fantástico e um grande off road

A travessia no Atlas no percurso entre Marraquexe e Ouarzazate

Viagem de mota a Marrocos. Em Gorges du Dadès.
Viagem de mota a Marrocos. Em Gorges du Dadès.

Se gostou deste artigo e souber de alguém que também possa gostar, partilhe clicando no botão das redes sociais abaixo. Estará a ajudar-nos a divulgar e a continuar a nossa existência. O nosso muito obrigado desde já e boas curvas!

28 Replies to “Quanto custa uma viagem de mota a Marrocos? A nossa estimativa com todas as despesas incluídas”

  1. Muito útil, sem dúvida! Obrigado!

    1. quilometroinfinito says: Responder

      Obrigado José Morgado! 🙂

  2. Está um post perfeito para quem quiser ir de mota. Realmente em Fez essas perguntas…Não fazia ideia dessas questões relacionadas com a moto, sem dúvida importantes.

    1. quilometroinfinito says: Responder

      Obrigado Francisco. Sim, foram perguntas algo suspeitas eheh Por isso alertamos sempre para a escolha de alojamento com parques fechados e privados 🙂 Para evitar surpresas.

  3. Sem dúvida, uma bela jornada. Acho que de cabelo ao vento (com capacete, eu sei lol) se saboreia bem melhor. Entendo a vossa preocupação com a mota – e as perguntas sobre o peso – pois em Marrocos TUDO é possível, para o bem e para o mal. As dicas são muito boas e até a mim deixam o bicinho de um dia explorar o Mundo dessa forma.

    1. quilometroinfinito says: Responder

      eheh Sim Rui é muito bom ir de capacete ao vento eheh A nossa mota é uma companheira de viagem com a qual temos todo o cuidado sempre, e em qualquer grande cidade, em Marrocos ou não, dormimos sempre mais descansados quando ela pernoita num local seguro. Em Fez realmente foi uma situação algo desconfortável, e quando e viaja fora de grandes grupos penso que se sentem mais essas questões.

    2. Rui, boa tarde. Falo do Brasil. Estou a procura de alguém que possa nos guiar em uma viagem a Marrocos. Somos um grupo de 3 casais. Se quiser ou souber de alguém que possa nos guiar, ficarei muito grato. Segue meu contato renatoamvet@gmail.com

      1. quilometroinfinito says: Responder

        Olá Renato! Aqui fica o site de quem vos pode guiar por Marrocos: http://www.wheelsofmorocco.net/ . obrigado por acompanhar nosso blogue e boa viagem até África 😉

  4. Bom dia, peço desculpa por me intrometer desta forma mas, eu já estive em Marrocos de mota mais do que uma vez, e estou neste momento a preparar mais uma viagem a Marrocos para outubro, e o valor estimado e as despesas que apresentam são validos mas, nunca gastei perto desse valor. Reservo sempre tudo antes de partir, tenho o trajeto bem delineado, e para duas pessoas de mota(ou de carro) com 4500km, sem almoços em áreas de serviço e afins e 11/12 dias nunca me ficou por valores semelhantes.
    No entanto, e sempre uma questão de escolhas.

    1. quilometroinfinito says: Responder

      Bom dia Rui. Críticas construtivas são sempre bem vindas! Antes de mais, desejamos uma óptima viagem até Marrocos. Como referimos no nosso post, as nossas escolhas de alojamento tem de ter algumas condições obrigatórias, e essas opções pagam se. Mas são para nós a forma de viajar por Marrocos que nos deixa mais confortáveis. Sabemos que muitos partilham das nossas escolhas e outros não. Mas viajar de forma independente é isso mesmo! Boas curvas!

      1. Boa noite, agradeço os votos de boa viagem e concordo a 100% com tudo mas, concerteza não terá exigências mais baixas que as minhas, onde no ano em que gastei mais dinheiro foram 12 noites em que 3 das noites foram em hóteis de 4 e 5* e sempre em quartos com wc privativo. Para duas pessoas, viagens de camelo, todo o combustivel, ferry, almoços, jantares, lanches, entradas em museus, palácios e tudo o resto ficou-nos em cerca de 900€. Isto em 2015 numa Honda CBR 600F.
        Mais uma vez, não comento com intenções depreciativas, apenas para que quem nunca foi saiba que pode fazer esta viagem com boas condições e desfrutar ao máximo por um valor consideravelmente mais baixo.
        Marrocos é isto mesmo, vocês apontam para os 1300 eu para os 900 e é uma viagem que um casal tanto consegue fazer por 600 ou 700 como por 2000 dependendo do que escolhe.
        O importante é desfrutarmos todos da estrada e conhecermos cada vez mais um bocadinho deste planeta e Marrocos é sem dúvida um país que tem sempre algo mais para oferecer e que nos faz voltar..e voltar..e voltar….
        Boas curvas e bons passeios!

        1. quilometroinfinito says: Responder

          Boa noite Rui! A nossa escolha também foi sempre entre hotéis e Riads 4* a 5* em todos os dias, pois para ficar com más condições preferimos não sair de casa 🙂 Imagino que os preços para as mesmas condições dependam bastante do local, ocupação na data e época da viagem. No nosso caso, a viagem foi realizada em 2017. A tendência dos valores é a aumentar,nunca a diminuir, notamos bastante isso desde a nossa primeira viagem a Marrocos há uns anos atrás. Como referimos no texto, o valor é uma estimativa que dependerá de diversos factores. Penso ser um guia importante para quem não faz ideia por onde começar,assim como obter alguma informação útil para programar a sua própria viagem com as exigências individuais. Mas no final é mesmo isso que importa, conhecer o mundo e usufruir o máximo possível sobre rodas. Bons passeios também para si e, mais uma vez, obrigado por acompanhar o nosso blogue! Felicidades

  5. Marrocos está na minha lista, só não sei se vamos de carro ou se contratremos passeios, o que não me agrada muito, então gostei muito de saber sobre as rotas de ferry e média de gastos, obrigada por compartilhar!

    1. quilometroinfinito says: Responder

      Olá Márcia! Se tiver possibilidade de ir de carro, é o que recomendaria. Mas nós somos suspeitos, pois gostamos muito de viajar independentemente. Com todas as vantagens e desvantagens que possa ter! Boas viagens!

  6. Marrocos é um país com o qual sou completamente apixaonada. Para quem gosta de mota deve ser uma forma fantástica de o percorrer…

    1. quilometroinfinito says: Responder

      É mesmo Catarina 🙂 Obrigado!

  7. Que delícaaaa de post. EU moro em Lisboa e já pensei em fazer de carro até o Marrocos. OU então deixando o carro do lado de cá e atravessar de Ferry. Com uma filhota pequena fica difícil ir de moto. Hehehe Adorei as dicas muito bem feito o post.

    Parabéns!

    1. quilometroinfinito says: Responder

      Ola Sabrina! Bem.. se tiver essa possibilidade, vá de carro até Marrocos. Facilita muito para conhecer o país. Boa viagem e obrigado!

  8. Excelente post este! Com informações e dicas bem importantes. Percebo a falta de paciência para negociar alojamento, por vezes também não tenho e por isso, por regra, marco com antecedência. Quero muito fazer Marrocos de carro pelo que estas dicas que aqui dão são importantes e sem dúvida vou registar o post. O Ferry tem um valor puxado, não fazia ideia! Mesmo assim (e mesmo ficando em alojamentos melhores) é uma viagem bem acessível.

    1. quilometroinfinito says: Responder

      É verdade Ana, o ferry é um pouco abusador 🙂 Uma boa viagem até Marrocos!

  9. Viviane Carneiro says: Responder

    Que viagem mais incrível deve ter sido essa! Adorei as ótimas dicas do post também.

  10. gosto muito de posts com gastos pois dá pra ter uma noção e poder comparar entre viajar por conta própria com veículo ou pegar busão e etc! achei que gastaria menos em comida

  11. Visitei Marrocos pela primeira vez no ano passado e fiquei completamente apaixonada, ter essa experiência de mota deve ser fantástico.

  12. É, a liberdade de poder viajar com a liberdade de pegar a estrada acaba tendo um custo, mas pelo o que vimos em seus posts, vale a pena. E muito bem detalhado os custos e os pontos de cada item, parabens.

  13. Boa noite tenho uma b.m.w 650 gt podem.me enformar se tenho alguns entraves em fazer uma viagem a Marrocos obrigado

    1. quilometroinfinito says: Responder

      Olá Arnaldo! Penso que não, é ir e aproveitar 🙂

  14. Rubrica fantástica. obrigado pela partilha e dicas. Uma pergunta, as estradas não asfaltadas são uma obrigatoriedade? ou temos como evitá-las não comprometendo a beleza das paisagens ?

    1. quilometroinfinito says: Responder

      Bom dia Hugo, pode evitar as estradas sem pavimento e continuar a ter umas paisagens fantásticas. 🙂 obrigado pelo comentário!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: