Como criar rotas num GPS Garmin? Route ,Track e a utilização de um GPS no máximo potencial

Muitas são as perguntas sobre o mesmo tema que nos chegam diariamente à nossa caixa de mensagens: como utilizar os mapas que partilhamos do Google Maps num GPS com navegação? Como criar rotas num GPS Garmin? Como seguir um percurso no Garmin? Como fazer a magia de não ter trabalho a criar rotas no GPS? Comprar um GPS vale a pena? Tenho mesmo de utilizar o Basecamp? A aplicação Garmin Tread não cria rotas automaticamente? Etc.

Vamos aqui tentar resumir, e partilhar, todo o processo que seguimos para a criação dos nossos percursos de viagem de mota. Explicando como utilizamos as diversas ferramentas que dispomos, para definir os nossos caminhos, e utilizar o Garmin Zumo XT2 no seu máximo potencial. Práticas válidas para qualquer outro GPS actual da Garmin, seja ele da gama Zumo ou Tread.

Porquê criar rotas num GPS Garmin se tenho um smartphone?

Esta é a primeira pergunta à qual damos a resposta baseada na nossa experiência pessoal: o smartphone serve essencialmente para telefonar e enviar mensagens no WhatsApp com memes para os amigos. E nem isso consegue fazer sempre na perfeição. Depois, além do mundo das cinquenta mil aplicações, e da dependência do acesso à internet, também tira fotografias e faz vídeos. Mas também não substitui uma máquina fotográfica. Da mesma forma que não substitui o GPS, mesmo com o Waze, Google Maps, Osmand, etc.

O pequeno aparelho pode, hoje em dia, ter a nossa vida guardada na sua memória, mas continua a não ser a melhor e mais robusta máquina multifacetada, especialmente para navegação. É uma espécie de faz tudo, mas ainda não faz tudo bem. Utilizamos o smartphone pontualmente para pequenas deslocações, mas nunca em viagem.

Por isso, e dada a intensidade da utilização que lhe damos, o nosso Garmin Zumo XT2 acompanha-nos nas nossas pequenas e grandes viagens. Actual sucessor dos Garmin Zumo XT, Tom Tom Rider 550 e do nosso velhinho Garmin Zumo 340. Conseguem aqui concluir que nunca gostámos de utilizar o smartphone para navegação.

Limitações de um smartphone como meio de navegação:

  • Menos robustez
  • Com muitas horas de utilização aquece e bloqueia
  • Sem acesso à internet funciona mal em lugares remotos com mapas offline
  • Mesmo no século XXI continuamos a encontrar muitos lugares sem rede móvel (quanto mais internet)
  • Capacidade de memória limitada para grandes viagens
  • É um leitor gpx que após conversão nos dá instruções de navegação (ou não) no caminho que o seu algoritmo escolheu (não nós)
  • Autonomia limitada
  • Dificuldade de adaptar a rota criada ao longo do dia
  • Os mapas offline não funcionam também quanto deveriam
  • Mais sensível às intempéries

Vantagens de um GPS como meio de navegação:

  • Maior robustez
  • Trabalha muitas horas sem sinais de cansaço
  • Não depende de rede móvel nem acesso à internet
  • Capacidade de memória para milhares de quilómetros de rotas
  • Sem problemas de autonomia
  • Trabalha como leitor gpx e facilita a criação de rotas navegáveis
  • Facilidade de adaptar a rota criada ao longo do dia
  • Com acesso à internet permite ser gerido através da App Garmin Tread
  • Preparado para intempéries

Fase de planeamento de viagem 

Quando planeamos as nossas viagens, passamos por uma fase de pesquisa, e por um processo iteractivo de criação de rotas diárias que muda muitas vezes no decorrer da fase de planeamento. Assim, inicialmente recorremos a duas ferramentas muito simples: Google Maps e ao Kurviger. Para estudar, modificar e guardar o nosso trabalho até a criação da rota final.

1- Criação de rotas que ficam gravadas no Google Maps (My Maps)

O recurso ao Google Maps não é feito pela aplicação convencional que nos indica geralmente um caminho de A para B que desaparece sempre que fechamos a aplicação. Utilizamos para isso a ferramenta My Maps que nos permite utilizar Google Maps guardando pontos e criando rotas na nossa área pessoal.

Assim, cada vez que abrimos a plataforma, o nosso trabalho lá estará guardado e pronto para ser continuado. Até ser terminado, nele continuaremos a fazer modificações, até concluir. Com esta opção no My Maps, conseguimos deixar o roteiro facilmente consultável e visualizar de forma clara o percurso total no mapa. No final deste trabalho passamos para a fase de o inserir no GPS e criar a rota definitiva.

♦Tipo de ficheiro resultante: track kml com waypoints associados

2- Criação de rotas que ficam gravadas Kurviger

O Google Maps tem uma grande desvantagem na fase de planeamento: como funciona em tempo real, não permite traçar rotas por lugares que estejam actualmente intransitáveis. Ou seja, se estiver a planear em Janeiro uma viagem para os Alpes, ou Noruega, em Junho, a maioria das estradas de interesse motociclístico não serão possíveis de traçar no Google Maps, pois estão fechadas por causa da neve na data do planeamento. Por isso encontrámos uma boa alternativa: o Kurviger.

O Kurviger é uma aplicação gratuita de planeamento de rotas concebida a pensar em motociclistas. Podemos assim utilizar o programa de forma a traçar rotas personalizadas com base em várias preferências, e sem restrições: evitar auto estradas, escolher a rota mais curvilínea, etc. Este programa não apresenta a condicionante de utilização do Google Maps para estradas fechadas consoante a época do ano.

♦Tipo de ficheiro resultante: track.gpx com waypoints associados

Como criar rotas num GPS Garmin? Tipos de percursos para navegação: Track e Route

  • O que é um track

Um track contém a gravação exacta de um percurso, incluindo eventuais localizações off-road. É construído num software de navegação e depois de importado para um GPS transforma-se numa rota a seguir que representa apenas uma linha sobre o mapa.

Em viagem, para seguir um percurso deste tipo, será necessário olhar para o GPS e ir confirmando pelo caminho se continua a seguir por essa linha. Chama-se geralmente navegação à vista, pois é o utilizador que tem de interpretar o terreno e o mapa, garantindo que segue o percurso exacto. É um método muito utilizado nos percursos off road.

Assim, na navegação com um percurso tipo track, não existem instruções de navegação, tais como: em 200 metros vire à esquerda, depois vire à direita, etc. não existe também a informação em tempo real sobre a viagem: distância para o próximo destino, previsão da hora de chegada, etc.

Um track é por isso uma rota não navegável, e é facilmente criado a partir de um mapa gravado no Google Maps e/ou Kurviger. É uma mais valia para servir de base para a criação de uma rota navegável no GPS: Route.

Importação de track para utilizar num GPS Garmin

  1. Através da Aplicação Garmin Tread (no smartphone)
  2. Através do software Basecamp da Garmin (no computador)
  • O que é uma Route?

Um percurso do tipo Route, resulta da conversão de um Track não navegável num formato navegável. Esta conversão pode ser feita automaticamente pelo um software de navegação (não recomendado), ou criada por nós inserindo diversos waypoints. No caso do Garmin, é criado no software Basecamp, num formato compatível com a sua ”linguagem”.

Este percurso pode ou não ser construído tendo como base um track, mas geralmente utilizamos um como guia. Requer um trabalho mais moroso e rigoroso a inserir no mapa milhares de pontos, que no final de unidos criam a rota pretendida.

Em viagem, a seguir um percurso tipo Route, não será necessária uma contínua interpretação do mapa no ecrã do GPS e do terreno, pois ele próprio nos dará instruções de navegação detalhadas: em 200 metros vire à esquerda, depois vire à direita, chegada ao destino, etc. Com este formato, teremos em tempo real, e durante a viagem, toda a informação de previsão de hora de chegada e quilómetros totais (percorridos, até ao próximo ponto e até ao destino final).

Exemplo considerando a imagem abaixo. Estamos em viagem a seguir as instruções do nosso GPS Garmin Zumo XT2. Olhando para o ecrã, nele conseguimos saber de imediato que estamos a 168 km do destino final do dia, a 257 metros de altitude, conduzimos para Noroeste (NW) e 19:50h será a previsão de hora de chegada ao alojamento do dia.

Garmin Zumo XT2 e as previsões de rota mais rápida. Como criar rotas num GPS Garmin
Garmin Zumo XT2 e as previsões de rota mais rápida

Utilização conjunta de um Track e de uma Route

Não é uma necessidade, é uma comodidade. Da nossa pesquisa, na fase de planeamento, resulta um Track construído no Kurviger ou Google Maps, com a exacta rota que nos propomos a fazer. Já na fase de construção da rota definitiva, utilizamos o Basecamp para construção da Route a partir do Track. Esta, será mais do que uma linha sobre um mapa e com ela teremos instruções e previsões ao longo do dia.

Tomando com exemplo a imagem abaixo do ecrã do Garmin Zumo XT2, conseguimos ver que temos 2 tracks da rota Batalha – São Pedro de Moel e uma route da rota Batalha – São Pedro Moel. Criar rotas num GPS Garmin é uma mais valia no nosso dia a dia em viagem.

Como criar rotas num GPS Garmin
Como criar rotas num GPS Garmin: Track e Route

Habitualmente o nosso Garmin Zumo XT2 tem essas duas opções visíveis: Track e Route. Sendo que na maioria do percurso estão sobrepostas sobre o mapa, o que quer dizer que estamos a fazer o caminho que planeámos.

Mas se, por distracção  ou qualquer outra vontade estranha do GPS, estivermos a sair do caminho planeado, na base do nosso mapa estará sempre visível o Track original. Assim, teremos sempre o espírito crítico para decidir se naquele caso especial seguimos a instrução do GPS ou a nossa interpretação.

Como criar rotas num GPS Garmin: o Basecamp e a criação de uma Route a partir de um Track

Trabalhar no Basecamp é importante para conseguir utilizar um GPS Garmin no seu máximo potencial. É o software da Garmin, e é nele que criamos todas as rotas que fazemos. Os vídeos abaixo demonstram um pequeno exemplo de todos os passos necessários à criação de rotas num GPS. De referir que nesta fase é importante ter o GPS conectado ao computador, garantindo que estamos a trabalhar com os mapas totalmente carregados e actualizados.

Dica: quando ligamos o GPS Garmin Zumo Xt2 ao Basecamp aparece uma mensagem de erro inicial a informar que o XT2 não é compatível com o software. Este é um bug da Garmin, que já devia estar resolvido… Por sua vez, ignorando essa mensagem e clicando ok, a utilização normal do Basecamp funciona e é possível.

Basecamp para criar rotas num Garmin
Ligação entre o PC e o GPS para criar rotas no Basecamp

♦Importar um track (criado no MyMaps ou Kurviger) para o Basecamp

♦Construir uma Route manualmente a partir do Track

♦Corrigir o traçado obrigando a Route a passar pelos mesmos lugares definidos no track

O Basecamp sugere um traçado inicial baseado no seu algoritmo para criar automaticamente a sua route a partir do track. Por sua vez, raramente esse cálculo automático fica 100% de acordo com o track que construímos. Esse track é a rota por nós estudada na fase de planeamento, com as melhores estradas e locais por nós definidos. Por isso, é aquele que não queremos falhar.

No vídeo abaixo indicamos esse exemplo, assim como o método que utilizamos para o corrigir: adicionamos waypoints intermédios até a que a Route seja igual ao Track. O facto de ter o track sempre vísivel por baixo, torna o processo de confirmação muito mais imediato e simples.

♦Exportar todos os dados para o GPS e estamos prontos para seguir viagem!

Com as Routes criadas é hora de transferir todo o trabalho para o nosso GPS. Criamos uma Route para cada dia de viagem, a cada dia pela manhã selecionamos a etapa correspondente, e seguimos para mais um passeio de mota. Se a viagem durar 30 dias, teremos 30 routes e tracks com ponto de partida e chegada no alojamento/localidade onde terminaremos a etapa diária.

Para os distinguir na memória do GPS, nomeamos cada ficheiro de forma a ser-nos facilmente identificável. Por exemplo: Sevilha – Ronda. Inicialmente colocávamos a data, mas em viagem perdemos a noção do tempo (e ainda bem) e isso criava-nos alguma confusão matinal.

Aplicação Tread da Garmin

O Garmin Zumo XT2 e o Garmin Tread trabalham conjuntamente com a aplicação Tread instalada no nosso smartphone. Em viagem, quando temos acesso à internet e rede móvel, esta facilidade permite-nos gerir a rota ao longo do dia de forma simples e rápida.

Apesar de todo o trabalho de criar rotas num GPS Garmin, os nossos roteiros em viagem são muitas vezes alterados consoante a nossa vontade. Para isso, as informações de rota, e previsões que vamos tendo no Garmin Zumo XT2 , ajudam-nos a tomar decisões. São duas da tarde e o GPS prevê que chegaremos ao destino em menos de uma hora? Então se calhar ainda conseguimos ir visitar mais aquele lugar …

No smartphone, e com a ligação ao Google Maps, partilho o ponto pretendido através da App Tread e imediatamente aparece no ecrã do Garmin Zumo Xt2, consoante imagem abaixo:

Como criar rotas num GPS Garmin
Garmin Zumo Xt2 e App Tread
  • Start a New Route (começar uma nova route) – Elimina todo o trabalho e traça o seu próprio caminho até ao ponto por nós enviado. Esse caminho vai depender das definições que escolhemos no GPS: caminho mais rápido, caminho mais sinuoso, caminho com ou sem vias rápidas, etc.
  • Add as Next Stop (adicionar como próxima paragem) – Independentemente de todos os outros pontos, o GPS vai enviar-nos para o ponto por nós enviado e continuará a seguir a rota planeada quando dele sairmos.
  • Add as Last Stop (adicionar como última paragem) – O ponto que enviámos será a última paragem da nossa route criada.
  • Add to Active Route (adicionar à Route activa) – O ponto por nós definido será encaixado na Route por nós criada na ordem que fizer sentido.

Gestão de toda a informação do Garmin Zumo XT2 a partir do smartphone na App Tread

Têm interesse num guia sobre como importar e consultar as rotas criadas no Basecamp para o Garmin Zumo XT2? Neste artigo aqui continuaremos com um mini tutorial. 

Desconto para seguidores do Quilómetro Infinito na loja online Longitude 009 / Touratech PT

Para aquisição de GPS, suportes ou outro equipamento na Loja Online Longitude 009/ Touratech PT, deixamos abaixo o código que vos dá sempre 5% nas vossas compras online. É só adicionar o código QUILOMETROINFINITO no momento da compra.

Se gostou deste artigo e souber de alguém que também possa gostar, partilhe clicando no botão das redes sociais abaixo. Estará a ajudar-nos a divulgar e a continuar a nossa existência. O nosso muito obrigado desde já e boas curvas!

🗺️ A preparar a próxima viagem de mota?

♦Gostamos de viajar tranquilos. Como tal, em todas as nossas viagens além fronteiras, contratamos sempre um seguro de viagem que se enquadre no nosso perfil de viajantes aventureiros e independentes. Através da HeymondoIATI encontramos boas opções para motociclistas (e não só). Ambas com excelentes propostas e com descontos ao seguir os nossos links: Link 5% desconto Heymondo e Link  desconto 5% Iati

♦Reserve as suas estadias através do Booking.com. Por lá encontramos sempre as melhores promoções e têm a facilidade de cancelamento gratuito.

♦Pagamentos no estrangeiro sem taxas e comissões? É fazer um cartão recarregável como o nosso! Abre grátis uma conta moey, por videochamada ou Chave Móvel Digital. Utiliza o nosso código e ganha 10 €. Começa logo a usar, sem custos e com cartão virtual e físico gratuito enviado para a morada de registo. Acede ao link aqui e associa o teu número antes de abrires conta.

♦ Gostaria de fazer um dos nossos roteiros mas não tem mota? Ou prefere optar por alugar uma por uns dias? Utilize os serviços da Motorentour e encontrará uma frota de várias motas prontas para seguir uma aventura e uma equipa profissional  para dar solução às suas necessidades.

♦Sejam pequenas ou grandes travessias, se precisa de comprar uma viagem de ferry para a sua próxima viagem recomendamos que utilize o DirectFerries.pt. Permite comparar os preços e horários das diferentes companhias e é por lá que encontramos os melhores preços.

♦Para alugar carro ou mota em qualquer destino, sugerimos o site de reservas Discover Cars. Uma plataforma que apresenta todas as opções e empresas disponíveis e tem facilidade e flexibilidade nas reservas.

Esta página contém links afiliados. Ao efectuar as suas reservas através destes links recebemos com uma pequena comissão. Não pagará mais por isso e estará a ajudar o blogue Quilómetro Infinito a continuar a sua existência. Muito obrigado!

4 Replies to “Como criar rotas num GPS Garmin? Route ,Track e a utilização de um GPS no máximo potencial”

  1. Excelente artigo.

    Quero me prender num detalhe: no passado, eu também criava as rotas com o Basecamp (após um ensaio no Google Maps) e os transmitia para o Garmin. Esta é forma ideal para fazer quando vamos viajar com a nossa moto, ou com o nosso GPS numa moto alugada.

    Eu geralmente alugo R1250RT ou K1600GL Nas companhias de aluguel, hoje em dia, as motos já são dos anos 2022 para cima, e incluem o ecrã OLED da BMW com sincronização com o telefone via o BMW Connected – mas não incluem um lugar para eu pôr o meu Garmin.

    Não é a solução adequada, tenho um monte de críticas para ela – mas é a única que há.

    Assim, mudei o meu trabalho na composição dos mapas. Eu crio o mapa com o Google Maps no computador, e quando estão prontos, copio o link e vou para o site http://mapstogpx.com e os transformo em arquivos GPX. Transmito os GPX para o telefone e os importo no aplicativo da BMW. Com isso tenho todo o meu itinerário no aplicativo, dividido dia a dia.

    1. quilometroinfinito says: Responder

      Olá Helio! Muito obrigado pela partilha. Nós temos andado com motas que não são nossas ultimamente. Na ultima viagem que fizemos levámos uma R1250RT do concessionário Santogal. Facilmente adaptámos o nosso Garmin Zumo XT com acessórios RAM ao guiador, com a ligação via USB da mota. E assim andou connosco mais de 15 dias, numa instalação provisória. Mais uma vez, o nosso perfil vai sempre querer manter-se na independência e liberdade que viajar sem rede móvel e internet exige. E sim, ainda levamos connosco na bagagem um mapa Michelin em papel. Boas curvas e obrigado pela sua sempre presença desse lado.

  2. Obrigado pela partilha. Tenho sido levado ao desespero pelo basecamp (principalmente para tiradas longas com muitos pontos de moldagem e paragem). Talvez já conheçam, mas o planner do My Route App veio trazer luz às trevas do planeamento. Exportando no formato GPX1.2 é sem espinhas no Garmin XT. Não é gratis, mas vale bem a pena tentar. Boas curvas.

    1. quilometroinfinito says: Responder

      Muito obrigado pela partilha Pedro. No nosso caso, não sentimos necessidade de aplicações adicionais ao Basecamp. A coisa primeiro estranha-se mas com o tempo entranha-se e resulta bastante bem. Boas curvas e tudo de bom.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Quilómetro Infinito