Roteiro de viagem de mota pela Croácia e Montenegro

ferry de Korcula

Uma viagem de mota pela Croácia e Montenegro – Pela Costa do Adriático

Roteiro de uma viagem de mota pela Croácia e Montenegro. Para todas as nossas viagens procuramos um rumo no mapa da Europa e deixamos que nos leve até ao nosso próximo grande destino. Desta vez, sentimos uma espécie de chamamento, e a eleição recaiu sobre a fabulosa costa do Mar Adriático. Seriam os deuses das boas estradas a dar-nos o seu sinal?

A ideia de rumar aos Balcãs e percorrer quilómetros de estradas costeiras, por entre os milhares de ilhas que fazem parte do território da Croácia, tornou-se numa tentação à qual não resistimos. E porque estava mesmo ali ao lado, não poderíamos voltar sem antes dar uma oportunidade ao seu país vizinho, e um dos mais recentes países do mundo: Montenegro.

De mota pela Croácia e Montenegro.
De mota pela Croácia e Montenegro.
Estrada Panorâmica. De mota pela Croácia e Montenegro
Estrada Panorâmica. E65. Viagem de Mota pela Croácia e Montenegro.

Entre cidades costeiras ricas em história e o interior de montanhas verdejantes

Durante uma viagem de 18 dias e cerca de 5000 km, percorremos o imenso e fabuloso litoral dos países que escondem recantos cheios de histórias e cenários idílicos, ligados por estradas onde a brisa do Adriático nunca os abandona. É o que chamamos uma rota panorâmica única. 

Foram dias passeio pelas estradas que percorrem em beleza todos os cantinhos perfeitos do país, iluminadas pelas cores vivas e reluzentes das águas do adriático. Um desfile de norte a sul pela herança arquitectónica dos seus antepassados, que enriqueceram as vilas e cidades com castelos, igrejas e muralhas que hoje nos deslumbram visitar. Não será por acaso que serviram de cenário a muitos filmes e séries de televisão, como o caso da Guerra dos Tronos.

No interior, encontramos o que chamamos o coração verde do país. Seja pela Croácia ou por Montenegro, as regiões longe da costa são ricas em imensos parques naturais, de florestas luxuriantes, cascatas e lagos de cenários de contos de fada.

Croácia moto
Plitvicka Jezera National Park

Com mais um maravilhoso cantinho do mundo descoberto sobre duas rodas, partilhamos agora os detalhes do nosso percurso por dois países que nos agraciaram com a sua vasta e tranquila beleza. Relembrando-nos a cada quilómetro porque, cada vez mais, viajar do mota nos apaixona.

De mota pela Croácia e Montenegro.
De mota pela Croácia e Montenegro.
ferry de Korcula
Porto da península croata à chegada do ferry de Korcula

Ideia geral do roteiro de mota pela Croácia e Montenegro

Com a repetida travessia de Espanha e França para início do percurso, novas possibilidades de viagem devem ser ponderadas. Sempre aquela monotonia que nos distancia dos destinos mais ousados, que nos soma quilómetros cujo único intuito é alcançar um ponto mais além.

Um roteiro com dias contados e pouca flexibilidade de duração, não nos permite atravessar estes países de outra forma que não por auto-estradas. Deixando para trás todos os seus recantos, longe das vias rápidas e áreas de serviço, que verdadeiramente merecem uma atempada visita.

De forma a minimizar alguns dos aborrecidos quilómetros, apenas com o objectivo de chegar o mais rapidamente possível ao destino, optámos por realizar a travessia de ferry que atravessa o Mediterrâneo desde Espanha até à Itália. A rota em particular, liga o Porto de Barcelona ao Porto de Roma em Civitavecchia, em menos de 17h de viagem cuja travessia é maioritariamente no período da noite. (no final do artigo partilhamos os detalhes das viagens de ferry).

Embarque no ferry Barcelona - Civitavecchia (Roma).
Embarque no ferry Barcelona – Civitavecchia (Roma).

Chegada a Itália

Com as duas rodas em território italiano, foi a partir dele que iniciámos o nosso ritmo de passeio com destino à Croácia. Rumámos à capital da Toscana e o berço do Renascimento: Florença. Por lá, e após 2 dias de passeio pela cidade, encontrámos uma infinitude de razões para voltar e dedicar uma viagem de mota apenas à região. Mas o nosso rumo seguiria para nordeste e para lá continuaríamos.

Em Florença na Itália na Basílica de Santa Croce.
Em Florença na Itália na Basílica de Santa Croce.

Uma pequena contemplação à mágica Veneza, seguida por um percurso que circunda o Golfo de Trieste e a paragem na cidade Italiana com o mesmo nome. Seguimos para a curta travessia da Eslovénia na região da Ístria, a península cuja maior parte do território pertence à Croácia.

Em Trieste na Itália, fronteira com a Eslovénia
Em Trieste na Itália, fronteira com a Eslovénia

Chegada à Croácia

Estaríamos finalmente no destino pretendido, mas o caminho para lá chegar já carregava quilómetros de boas histórias a contar. Na região norte da Croácia seguiam-se Porec, Rovinj, Pula e Rijeka. As pequenas cidades carregadas de encanto e monumentos de beleza sem igual, rodeadas pelas cristalinas águas do mar que as circunda.

De mota pela Croácia e Montenegro
No Norte da Croácia em Rovinj. De mota pela Croácia e Montenegro
Em Rovinj. De mota pela Croácia e Montenegro.
Em Rovinj. De mota pela Croácia e Montenegro.

Por Rijeka iniciaríamos a descida da costa da Croácia pela estrada E65, aquela que é considerada a sua mais longa rota panorâmica e que se revelou acima de qualquer expectativa.

Um desvio ao coração verde da Croácia

Por muito que a região costeira seja tentadora, um desvio ao interior merece ser considerado e promete não desiludir. Seguia-se a visita ao Parque Natural dos Lagos Plitvice por onde vale a pena demorar.

Um dos mais belos locais da Terra que tivemos a oportunidade de conhecer. Merece que estacione a mota no parque de visitantes e se deslumbre com as inúmeras e vigorosas cascatas que cobrem uma vasta e bela área da região de Plitvika Jezera (Todos os detalhes aqui).

Parque National dos Lagos Plitvice na Croácia. De mota pela Croácia e Montenegro
Parque National dos Lagos Plitvice na Croácia. De mota pela Croácia e Montenegro
Parque National dos Lagos Plitvice na Croácia. De mota pela Croácia e Montenegro
Parque National dos Lagos Plitvice na Croácia. De mota pela Croácia e Montenegro

Voltaríamos à costa do Adriático para continuar a descida com a passagem pelas famosas cidades ricas em monumentos de Zadar, Sibenik e Split. Cidade a partir da qual, uma curta e fabulosa travessia de ferry nos levaria a navegar por entre as paradisíacas ilhas de Hvar e Korcula.

Split Croácia
Palácio de Diocleciano, construção romana séc. III. Património Mundial da UNESCO. Split
Crácia zadar moto
Igreja de St. Donato (Séc IX) e Forum Romano na cidade velha de Zadar

A saída de Korcula, de novo a partir do ferry, guia-nos pela península croata até Dubrovnik. Num cenário que alterna uma região recortada pelo mar, de colinas repletas de vinhedos e olivais que remontam à era romana.

Korcula ferry
Ferry para a ilha de Korcula
De mota pela Croácia e Montenegro
Panorâmica estrada continental E65. Croácia

Considerada a pérola do Adriático por inúmeros roteiros turísticos, não podíamos deixar Dubrovnik sem uma demorada visita. Dois dias na cidade entre muralhas foi o programado para um passeio relaxado pelas agitadas ruas e ruelas com muito para contar.

croácia moto
Stradun. Old Town Dubrovnik
Vista da estrada panorâmica para Dubrovnik Old Town
Vista da estrada panorâmica para Dubrovnik Old Town

Chegada a Montenegro

Seguia-se o percurso rumo à fronteira e ao vizinho Montenegro, outrora inimigo de guerra. Por lá, nos tempos modernos, reina a harmonia por entre um dos mais belos percursos da Europa: a N8 entre Dubrovnik e o fiorde de Kotor. 

Montenegro, um país recém descoberto pelas rotas turísticas, muito tem para oferecer. O nosso roteiro seguiria por uma paragem na história cidade fortificada de Kotor, uma visita a Svetti Stefan, a península em torno de uma das mais belas praias da Europa e Budva.

Croácia e Montenegro de mota
Montenegro Svetti Steffan

Um desvio ao interior pelo Parque Natural de Lovcen e a louca e vertiginosa subida da Kotor Serpentine. A visita em torno do lago Skardarsko que separa Montenegro da vizinha Albânia e representa uma vasta área coberta pelas suas águas reluzentes em torno do arvoredo do parque natural.

A vista da Baía de Kotor a partir da estrada Kotor Serpentine
A vista da Baía de Kotor a partir da estrada Kotor Serpentine
montenegro lake
Virpazar, Lago Skadarsko. Montenegro
A vista da Baía de Kotor a partir da estrada Kotor Serpentine
A vista da Baía de Kotor a partir da estrada Kotor Serpentine

A saída de Montenegro seria por ferry a partir da pequena cidade de Bar com rumo a Bari em Itália. O amanhecer em território italiano na região da Puglia levaría-nos até Roma e ao porto de Civitavecchia iniciando definitivamente o regresso a casa depois de mais uma grande viagem de mota.

montenegro lines
Porto de Bar, Montenegro Lines. Travessia Bar- Bari (Itália).
De mota pela Croácia e Montenegro
A caminho do porto de Civitavecchia em Roma. De mota pela Croácia e Montenegro

Abaixo partilhamos o roteiro ao pormenor para que possa reproduzir os nossos quilómetros, testemunhando tudo o que de melhor os Balcãs têm para oferecer.

Roteiro de mota pela Croácia e Montenegro

★ Duração: 18 dias

★ Quilómetros: 5000 km

Dia 1 Batalha – Valladolid. Quilómetros totais do dia: 540 km em 5 horas de condução, maioria em auto-estrada.

Dia 2 Valladolid – Barcelona – Porto de Barcelona. Embarque no ferry com destino à Itália em Civitavecchia com partida no final do dia. Quilómetros totais do dia: 750 km em 7 horas de condução, maioria em auto-estrada.

Entrada em Itália (Roma)

Dia 3 Porto de Civitavecchia – Florença. Quilómetros totais do dia: 270 km em 3 horas de condução por estradas secundárias.

Dia 4  Dia livre para visitar Florença

Dia 5 Florença – Veneza – Triestre – Skofije – Porec – Rovinj. Quilómetros totais do dia: 500 km em 5 horas de condução por estradas secundárias e auto estradas.

Entrada na Croácia

Dia 6 Rovinj – Pula – Visita à Arena Romana de Pula, Templo de Augusto e Arcos dos Sérgios – Rijeka e descida pela estrada E65 até Senj. Desvio em direcção ao interior e a Saborsko com destino final Parque Nacional dos Lagos Plitvice em Plitvika Jezera. Quilómetros totais do dia: 300 km em 5 horas de condução por estradas secundárias.

Dia 7 Dia Livre para explorar o Parque Nacional dos Lagos Plitvice

Dia 8  Plitvika Jezera – Zadar, visita à igreja de S. Donato, à catedral de Zadar e ao Museu de Arqueologia. Entrada na panorâmica estrada costeira N8 em direcção a Biograd na Moru – Sibenik – Split. Quilómetros totais do dia: 300 km em 3 horas de condução por estradas secundárias e auto estradas.

Dia 9 Dia Livre para explorar Split e seu centro histórico.

Dia 10 Split – Estrada N8 em direcção a Ploce – Travessia de Ferry para Trpanj. Condução em parte da península em direcção a Orebic para última travessia de Ferry para a Ilha de Kórcula. Chegada a Korcula ás 13:00h. Quilómetros totais do dia: 200 km em 5 horas de condução sempre em estradas secundárias.

Dia 11 Korcula- Ferry para Orebic. Travessia da Península e regresso à estrada panorâmica N8 – Dubrovnik. Quilómetros totais do dia: 150 km em 3 horas de condução sempre em estradas secundárias.

Dia 12 Dia livre em Dubrovnik para visita à cidade antiga.

Entrada em Montenegro

Dia 13 Dubrovnik – Fronteira com Montenegro e formalidades. Visita e almoço em Kotor- saída para Budva. Quilómetros totais do dia: 160 km em 3 horas de condução sempre em estradas secundárias.

Dia 14 Dia livre para explorar Kotor. Subida da passagem de montanha, Kotor Serpentine, com vista para o fiorde de Kotor. Visita ao Mausoléu Lovcén e respectivo parque natural. Regresso a Budva. Quilómetros totais do dia: 100 km em 4 horas de condução sempre em estradas secundárias.

Dia 15 Budva- Bar. Visita a Sveti Stefan e Bar Stari Grad. Regresso ao porto de Bar para iniciar a rota de regresso. Saída no final do dia em ferry com destino a Bari na costa Italiana. Dormida no ferry. Quilómetros totais do dia: 50 km em 1 hora de condução sempre em estradas secundárias.

Entrada em Itália (Bari)

Dia 16 Chegada ao porto de Bari – Roma – Porto de Civitavecchia. Embarque no final da tarde no ferry com destino a Barcelona. Quilómetros totais do dia: 550 km em 6 horas de condução sempre em auto-estradas.

Dia 17 Chegada a Barcelona por volta das 18:00 h. Viagem até Zaragoza. Quilómetros totais do dia: 300 km em 3 horas de condução sempre em auto-estradas.

Dia 18  Zaragoza – Batalha. Quilómetros totais do dia: 900 km em 8 hora de condução sempre em auto-estradas.

Mapa do Percurso da viagem de mota pela Croácia e Montenegro

Travessia Ferry Barcelona <-> Civitavecchia

(Espanha <-> Itália)

Para o nosso percurso em particular o ideal, e mais directo, seria a rota com destino a Livorno. No entanto a reserva já não nos foi possível e a opção seguinte era Civitavecchia, local por onde no regresso também voltaríamos a Barcelona. Alterámos por isso o nosso percurso de ida e fizemos uma conveniente paragem de duas noites em Florença.

Parque para as motas
Fila para embarque de motas no ferry da Grimaldi Lines em Barcelona

Grimaldi Lines – Informações sobre o ferry

A Grimaldi Lines disponibiliza várias rotas de ferry ao longo de mediterrâneo a partir de Barcelona. O preço ronda os 200 euros por percurso, inclui uma cabine com WC e permite evitar cerca de 1000 km aborrecidos quilómetros em auto-estrada para atravessar a costa francesa e italiana.

Recomenda-se que os bilhetes sejam reservados com antecedência através da internet, pois podem esgotar com alguma facilidade. Os sites da companhia ou da Direct Ferries são os ideais para o fazer.

A travessia é feita maioritariamente durante a noite. A mota fica a descansar no porão onde não gasta pneus, combustível e portagens. Há cabines a bordo para uma noite repousada, onde nós não gastamos energia para etapas seguintes.

No dia seguinte acordamos relaxados e já na Itália, prontos para iniciar o nosso passeio. Se tem tendência a sentir mau estar a bordo, não se preocupe, o mediterrâneo é muito pacífico e quase nem vai sentir que estão no mar!

ferry durante uma viagem de mota
Porão do ferry na companhia Grimaldi Lines. Rota Barcelona – Civitavecchia. Viagem de mota pela Croácia e Montenegro

Alimentação a bordo

Se não quiser dormir em cabine, o valor do bilhete é mais económico e tem sempre à disposição as poltronas nos deck’s do barco. Existem vários restaurantes a bordo, no entanto a qualidade é discutível e o preço abusador, assim nós optámos por levar a nossa comida.

Antes da entrada no ferry fizemos uma paragem estratégica na Plaza Catalunha para visitar a zona dos petiscos do supermercado El Corte Inglés. Relembrando o provérbio português: Quem vai para o mar, avia-se em terra!

Para muitas outras dúvidas comuns a qualquer embarque em ferries, assim como muitas dicas práticas e rotas alternativas, criámos um artigo sobre o assunto que pode consultar aqui.

Dicas Práticas

  • Conforme referido, para destino aos Balcãs a melhor rota de ferry é Barcelona – Livorno. (Nós não conseguimos disponibilidade nas datas pretendidas.
  • A partir de Trieste, segue-se a fronteira com a Eslovénia que de imediato nos encaminha para auto-estradas. O pagamento das auto-estradas no país é através da compra de um dístico (à venda na fronteira e áreas de serviço). Custa cerca de 7,5 Eur para o período mínimo de 1 semana, sem limite do número de passagens. Apenas para fazer os curtos quilómetros com destino à Croácia, não compensa. Sugere-se que siga a estrada secundária de igualmente boa qualidade.

A zona da costeira da Bósnia Herzegovina

  • Pode passar despercebido no mapa do roteiro geral. Mas é importante esclarecer que o nosso percurso não atravessou território da Bósnia e Herzegovina. Repare que existe uma pequena região de fronteira que interrompe a costa da Croácia antes de chegar a Dubrovnik. Por opção fizemos a descida sempre por território croata através da ilha de Korcula e ferry para a península em Orebic. Se optar por visitar a Bósnia necessita além do passaporte, apresentar a extensão territorial do seguro e carta verde válida para circular no país. (À semelhança de Montenegro).

  • Budva foi a cidade eleita para estadia em Montenegro. Sugere-se que opte pela estadia em Kotor com melhores condições para passeios e alimentação.
  • Não circule pelo período da noite em Montenegro. Pelo país habitam muitas pessoas de etnia cigana que podem tornam inseguro um passeio por zonas mais remotas.
  • No regresso a Itália verifique a disponibilidade da travessia de ferry Dubrovnik-Bari. Trata-se de um ferry muito superior a preços semelhantes aos da travessia Bar-Bari onde o ferry é sujo e muito antigo.

Terminamos por aqui o nosso roteiro de viagem de mota pela Croácia e Montenegro, mas para mais informações sobre todos os detalhes dos locais a visitar e estradas a não perder consulte os nossos artigos:

Deixamos também os detalhes sobre um passeio a não perder por uma das mais belas regiões dos Balcãs:

3 Replies to “Roteiro de viagem de mota pela Croácia e Montenegro”

  1. […] Croácia e Montenegro […]

  2. Excelente! Obrigado pela Partilha!

  3. quilometroinfinito says: Responder

    Ainda bem que gostou e que sirva para tirar muito boas dicas! Qualquer dúvida estaremos disponíveis! Obrigado 🙂

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: