A Floresta Negra e a Nascente do Rio Danúbio. Pela Estrada B500 na Alemanha

Viagem de mota pela Rota Panorâmica da Floresta Negra. Alemanha

Uma viagem de mota pela rota panorâmica da Floresta Negra

Por entre densas florestas e pela mítica Estrada B500, percorremos a rota panorâmica da Floresta Negra numa viagem de mota pela encantada Alemanha.

Repleta de bosques imensos e coberta por um manto verde exuberante, a Floresta Negra é uma fantástica rota para um passeio de mota. As estradas que a atravessam, definem um percurso panorâmico com vista privilegiada do topo das montanhas que percorrem.

Estradas de pavimento em condições soberbas e perfeita geometria, unem os pequenos e característicos vilarejos que dão vida à região. Entre riachos, cascatas, típicas construções de madeira e a história dos monumentos que por lá se encontram, percorrer a Floresta Negra é enriquecedor.

Rota panorâmica da Floresta Negra. Viagem de mota pela Alemanha.
Rota panorâmica da Floresta Negra. Viagem de mota pela Alemanha.

A nascente do Danúbio por lá se encontra e o vale do Reno domina a paisagem no seu curso para norte. Uma rota panorâmica com muito para explorar e nós como sempre, achámos que o melhor meio para o fazer é numa viagem de mota.

Depois de dias em modo alucinante de curvas pelos Alpes, decidimos adicionar ao nosso roteiro dias para relaxar. Explorar as pacatas paisagens alemãs e as riquezas das pequenas cidades que escondem, foram a nossa opção.

Assim, depois de um mágico percurso pela Rota do Romântico, a Floresta Negra foi a que se seguiu. Afinal, há muito que o burburinho sobre a Estrada B500 nos zumbia nos ouvidos. A fama de ser uma das melhores estradas alemãs para percorrer de mota levou-nos até lá. Fomos confirmar e contamos tudo.

Rota panorâmica da Floresta Negra. Viagem de mota pela Alemanha.
Rota panorâmica da Floresta Negra. Viagem de mota pela Alemanha.
Rota panorâmica da Floresta Negra. Viagem de mota pela Alemanha.
Rota panorâmica da Floresta Negra. Viagem de mota pela Alemanha.
Rota panorâmica da Floresta Negra.Em Schwarzwaldhochstraße.
Rota panorâmica da Floresta Negra.Em Schwarzwaldhochstraße.

Sobre a Floresta Negra

Localizada no sudoeste do país, na região de Baden-Württemberg, a Floresta Negra situa-se entre as fronteiras com a França e a Suíça, e representa uma das escassas regiões de montanha da Alemanha.

Estende-se por cerca de 150 km com uma orientação N-S entre Baden-Baden e Freiburg, e consideramos o caminho ideal para sair da Alemanha em beleza.

Influenciada pelos hábitos culturais dos países com quem partilha fronteiras, assim como pelas condições de vida nas suas florestas, a Floresta Negra criou a sua própria identidade.

Por lá as florestas são ricas e verdejantes, a água é o elemento presente para onde quer que olhe entre riachos e cascatas. Os esguios e gigantes pinheiros, alinhados e densamente colocados são a espécie dominante. O vale do Reno domina a paisagem no seu curso para norte e o rio Danúbio elegeu a Floresta Negra para nascer.

Rota de imponentes castelos da antiguidade, mosteiros, igrejas de estilo Barroco e Gótico e de construções de madeira de arquitectura preciosa. Um percurso enriquecedor com tudo a que tem direito.

Rota panorâmica da Floresta Negra. Viagem de mota pela Alemanha.
Rota panorâmica da Floresta Negra. Viagem de mota pela Alemanha.
Rota panorâmica da Floresta Negra. Viagem de mota pela Alemanha.
Rota panorâmica da Floresta Negra. Viagem de mota pela Alemanha.
Rota panorâmica da Floresta Negra. Viagem de mota pela Alemanha.
Rota panorâmica da Floresta Negra. Viagem de mota pela Alemanha.

Schwazwaldhochstraße, pela Estrada B500 no topo da Floresta Negra

Schwazwaldhochstraße ou a Black High Road, é a espectacular estrada de montanha da Floresta Negra que atravessa a sua zona mais elevada, por entre as florestas mais cerradas e zonas de intensa vegetação.

Com início a norte em Baden Baden e seguindo a famosa estrada B500, rapidamente nos transporta para o interior dos bosques sombrios da floresta. Eleva-se até à crista principal das montanhas, atinge o topo em Bühlerhöhe e termina na pequena cidade de Freudenstadt.

Rota panorâmica da Floresta Negra. O início da Schwarzwaldhochstraße.
Rota panorâmica da Floresta Negra. O início da Schwarzwaldhochstraße.
Rota panorâmica da Floresta Negra. Estrada B500
Rota panorâmica da Floresta Negra. Estrada B500

Referida sempre que de melhores estradas para percorrer de mota pela Alemanha se fala, este troço da Estrada B500 nunca escapa à eleição. Com localização privilegiada e o peso carismático da Floresta Negra, é o seu traçado perfeito que conquista os motards.

Pavimento de excelente qualidade, ondula entre os bosques em longas e largas curvas. O traçado excepcional, longe dos desafiantes passos alpinos, mas com a vantagem de dar descanso à caixa de velocidades sem comprometer o prazer de nele conduzir.

Cerca de 50 km de boas estradas que o mundo parece ter esquecido. Por lá o movimento é quase inexistente e percorrê-la de mota é um passeio tranquilo e revigorante.

Rota panorâmica da Floresta Negra.Em Schwarzwaldhochstraße.
Rota panorâmica da Floresta Negra.Em Schwarzwaldhochstraße.

Nos dias soalheiros e sem neblina, o horizonte é infinito e por ele se observam os arredores verdejantes. O vale do Reno espreita a Oeste e a vista do ponto mais alto é um encanto.

A pequena cidade de Freudenstadt – No extremo sul da Schwarzwaldhochstraße 

A Alemanha é assim. Um encanto pela riqueza dos seus cenários naturais, um encanto pelas pequenas cidades de arquitectura sem igual, um encanto pelos inúmeros castelos, mosteiros e igrejas que por lá há para visitar.

Muitos locais foram destruídos quase na totalidade durante a II Guerra Mundial. Posteriormente reconstruídos à imagem de outrora é hoje em dia, possível contemplá-los ao longo de todo o percurso.

A pequena cidade de Freudenstadt é o perfeito exemplo. Construída durante o Séc. XVII, a igreja da cidade e o mercado municipal entre as arcadas dos edifícios, são dois locais onde a passagem é recomendada.

Antes de continuar o restante percurso rumo a sul pela Estrada B500, fizemos uma pequena paragem pelo local. O dia era soalheiro e as temperaturas atípicas para a região, apelavam a um refresco nas esplanadas da praça principal.

Rota panorâmica da Floresta Negra. Markplatz de Freudenstadt.
Rota panorâmica da Floresta Negra. Markplatz de Freudenstadt.
Rota panorâmica da Floresta Negra. Markplatz de Freudenstadt.
Rota panorâmica da Floresta Negra. Markplatz de Freudenstadt.

Em Triberg, nas Cascatas e na Rota dos Relógios

Continuámos o percurso pela Estrada B500 após Freudenstadt. Afinal, o nosso rumo seguia na mesma direcção e porque não continuar a nossa descida pelas florestas? A partir deste ponto os bosques cerrados deram lugar às amplas e descobertas colinas verdejantes.

O horizonte descoberto e as pequenas vilas sucedem-se com mais frequência. O desfile de monumentos torna-se mais intenso e é em Triberg que encontramos um novo motivo para parar.

Rota panorâmica da Floresta Negra. Estrada B500
Rota panorâmica da Floresta Negra. Estrada B500
Rota panorâmica da Floresta Negra. Estrada B500
Rota panorâmica da Floresta Negra. Estrada B500

Triberg

Curiosamente, no local onde o tempo parece não importar, onde a tranquilidade e sossego da região apelam a que nos esqueçamos das horas, entramos no berço dos relógios da Alemanha.

Por lá se inicia a Rota dos Relógios e muita história sobre a medição internacional do tempo se encontra entre museus e oficinas. Fábricas de relógios e ateliers de pintores de relógios são comuns pela região.

A partir da pequena aldeia de Triberg avista relógios de cuco para onde quer que olhe. Em todas as escalas e para todos os gostos e feitios, os relógios de cuco construídos com a madeira da Floresta Negra, relembram a sua beleza a cada tique-taque e a cada detalhe dos seus trabalhados. Trouxemos um pois claro! Afinal, nas bagagens da nossa mota, cabe sempre mais qualquer coisinha!

Rota panorâmica da Floresta Negra. Viagem de mota pela Alemanha.
Rota panorâmica da Floresta Negra. Casa de Relógios em Triberg.
Rota panorâmica da Floresta Negra. Casa de Relógios em Triberg.
Rota panorâmica da Floresta Negra. Casa de Relógios em Triberg.

As cascatas de Triberg

A uma curta caminhada a partir do centro da pequena aldeia de Triberg, entramos em pleno no coração da floresta rumo às pequenas cascatas de Triberg.

Por entre densa vegetação, arbustos de muitas espécies e riachos oriundos das cascatas, percorremos um pequeno trilho por onde o verde é dominante.

Rota panorâmica da Floresta Negra.Em Schwarzwaldhochstraße.
Visita às Cascatas de Triberg.

Com opções de caminhada para todos os gostos, nós escolhemos manter-nos num registo verde e escolher a mais simpática. No final, todas levam ao mesmo ponto, apenas o modo de subida as distingue.

Em Triberg. Visita às Cascatas de Triberg.
Em Triberg. Visita às Cascatas de Triberg.
Em Triberg. Visita às Cascatas de Triberg.
Em Triberg. Visita às Cascatas de Triberg.

Dicas práticas

♦ Em modo de caminhada pouco acelerada, cerca de 1h é tempo suficiente para percorrer os caminhos por entre as cascatas.

♦ Os bilhetes têm um custo de 5 Eur por pessoa

♦ Pode optar por um bilhete combinado e visitar o Museu da Floresta Negra.

♦ Porque não é agradvel fazer caminhadas com equipamento de mota, solicite na bilheteira local para colocar capacetes, casacos, saco do depósito, etc. (Sem custos).

♦ Estacione a mota junto à entrada.

Em Triberg. Visita às Cascatas de Triberg.
Em Triberg. Visita às Cascatas de Triberg.

Em Donaueschingen, na Nascente do Rio Danúbio

Superado apenas pelo rio Volga que atravessa a Rússia, o rio Danúbio é o segundo mais longo rio da Europa e é na Floresta Negra que inicia o seu longo e belo caminho. Resulta da confluência dos rios Brigach e Breg que se encontram em Donaueschingen e nós, fomos visitá-lo.

Estende-se por mais de 2800 km no seu rumo para leste. Com meandros de sonho e a embelezar muitas cidades europeias, segue o seu curso por entre a Alemanha, Áustria, Eslováquia, Hungria, Croácia, Sérvia, Bulgária e Roménia até desaguar no Mar Negro, no Delta do Danúbio. O grandioso rio que nasce na Floresta Negra e desagua no Mar Negro.

Esperávamos um local entre a floresta, num qualquer vale acentuado por onde a água jorrava por entre os rochedos. Encontrámos um pacato chafariz monumental, inserido por entre edifícios de rica beleza, elegantemente rodeado por trabalhados em pedra e ferro forjado. Estávamos na nascente do rio Danúbio.

Rota panorâmica da Floresta Negra. A Nascente do Danúbio em Donauschingen.
A Nascente do Danúbio em Donauschingen.
Rota panorâmica da Floresta Negra. A Nascente do Danúbio em Donauschingen.
A Nascente do Danúbio em Donauschingen.
Rota panorâmica da Floresta Negra. A Nascente do Danúbio em Donauschingen.
A Nascente do Danúbio em Donauschingen.

Sankt Peter, o final da rota pela Floresta Negra

Chegávamos ao final do nosso percurso pela Floresta Negra e ao final de mais um grande dia sobre duas rodas. Sankt Peter foi a pequena aldeia eleita para pernoitar. Não por termos pesquisado algo de interesse pelos arredores, mas porque era próxima mas fora da grande cidade de Freiburg, portanto estrategicamente agradável aos nossos planos.

O hábito cada vez mais comum de fugir aos alojamentos nas cidades, leva-nos a descobrir pequenas pérolas que, muitas vezes não surgem com o devido destaque nos guias turísticos. Sankt Peter é um desses locais.

Um pequeno vilarejo que se desenvolveu em torno de uma impressionante abadia de imensa riqueza arquitectónica cuja construção original remonta ao Séc. XI. A Abadia de St Peter, o mosteiro e todos os átrios envolventes foram uma agradável surpresa e de visita recomendada.

Rota panorâmica da Floresta Negra. Viagem de mota pela Alemanha.
Rota panorâmica da Floresta Negra. A Abadia de St Peter e o Mosteiro.
Rota panorâmica da Floresta Negra. A Abadia de St Peter e o Mosteiro.
Rota panorâmica da Floresta Negra. A Abadia de St Peter e o Mosteiro.
Rota panorâmica da Floresta Negra. A Abadia de St Peter.
Rota panorâmica da Floresta Negra. A Abadia de St Peter.

Dica:

No nosso roteiro, definimos um dia livre para explorar e conhecer atempadamente a bela cidade de Freiburg. Local onde também iniciaríamos o nosso regresso a Portugal no dia seguinte. Na data da nossa viagem, temperaturas extremas surgiram um pouco por toda a Europa.

Porque andar de mota durante quilómetros com temperaturas superiores a 40º é para nós desgastante, decidimos iniciar o nosso regresso um dia mais cedo. Conduzir de madrugada e no final do dia para fugir às horas de maior calor e à travessia de Espanha onde os termómetros chegavam aos 50º.

Abdicámos assim, de explorar a cidade de Freiburg deixando para uma próxima oportunidade. O nosso curto passeio pelas ruas da cidade diz-nos para recomendar que o faça. Visite Freiburg com tempo.

Dicas de alojamento na Floresta Negra

Alojamento em Baden-Baden

Se pretende uma experiência de estadia numa típica construção da Floresta Negra recomendamos a casa Geroldsauer Mühle nos arredores de Baden-Baden, a extremidade norte da rota.

Muito bem localizada no quilómetro inicial da Estrada B500, a estadia é sem dúvida reconfortante. No espaço, encontra um típico Biergarten onde, nas noites de Verão, quem reina é a cerveja alemã e os pratos típicos da região. O pequeno almoço é fabuloso e preparado na hora consoante a eleição. Servido numa ampla sala onde a madeira é o elemento principal, todos os detalhes são maravilhosos.

Em Baden-Baden na casa Geroldsauer Mühle.
Em Baden-Baden na casa Geroldsauer Mühle.

Alojamento em Sankt Peter

Alguma vez pensou em dormir num convento? Nós também não, mas dormimos! Durante a reserva dos alojamentos do nosso roteiro, como sempre, recorremos ao Booking.com para a pesquisa.

A boa classificação, localização fora da cidade e excelente preço fizeram-nos confirmar a reserva sem grande atenção aos detalhes. A descrição do local confirmava que se tratava de um convento, com quartos disponíveis para alugar a turistas e num espaço gerido por freiras. Descobrimos no próprio dia e sem dúvida que se tornou uma agradável surpresa.

Com localização de sonho no alto de uma colina de vista imensa, com a pequena e bela igreja Maria Lindenberg a curtos passos e a recepção calorosa de todos os hóspedes e freiras, fazem-nos não só recomendar como esperar pela oportunidade de regresso.

Em Sankt Peter. Igreja Maria Lindenberg
Em Sankt Peter. Igreja Maria Lindenberg
Em Sankt Peter. Igreja Maria Lindenberg
Em Sankt Peter. Igreja Maria Lindenberg

Haus Maria Lindenberg é um mágico local na Floresta Negra, que nos recebe calorosamente independentemente de religião ou modo de vida. O João quase convencia uma freira a dar uma voltinha de mota, talvez para a próxima!

Além do simples mas delicioso pequeno almoço, no local não se servem refeições. Para jantar terá que se deslocar cerca de 2 km até ao centro da aldeia de Sankt Peter. Poderá representar uma agradável caminhada de final de dia ou uma curta viagem de mota.

Em Sankt Peter. Igreja Maria Lindenberg
Em Sankt Peter. Igreja Maria Lindenberg
O pôr-do-sol na Floresta Negra em Sankt Peter.
O pôr-do-sol na Floresta Negra em Sankt Peter, Haus Maria Lindenberg.

Mapa da rota panorâmica da Floresta Negra

A Alemanha é um país cheio de surpresas por onde passear de mota é um prazer. São as boas estradas que até lá nos chamam, mas oferecem-nos o bónus das riquezas que percorrem. Monumentos, florestas, vilas e cidades de infinita beleza. Sobre duas rodas tudo parece melhor. Por aqui terminamos, mas partilhamos abaixo outras rotas pelo sul da Alemanha:

 

Se gostou deste artigo e souber de alguém que também possa gostar, partilhe clicando no botão das redes sociais abaixo. Estará a ajudar-nos a divulgar e a continuar a nossa existência. O nosso muito obrigado desde já e boas curvas!

6 Replies to “A Floresta Negra e a Nascente do Rio Danúbio. Pela Estrada B500 na Alemanha”

  1. Nice.. hum??? Estiveram aqui tão perto de mim, eu gostava de vos receber e mostar-vos outras espaços também bonitos, e bebermos algumas cervejas aqui da zona, eu sou de Lisboa e vivo aqui na Floresta Negra à cinco anos e realmente é uma das zonas mais lindas da Europa, fiquem bem,

    1. quilometroinfinito says: Responder

      Olá José! Para a próxima já saberemos eheh é sempre bom ter alguém que conhece bem a zona a guiar nos para os sítios mais fantásticos! Obrigado e boas curvas

  2. Excelente! Tenho família em Basileia, muito próximo, e já conhecia algumas coisas da Floresta Negra! Agora, quando lá voltar, irei usufruir das Vs. sugestões! Obrigado!

  3. Que roteiro inspirador e quanta paisagem maravilhosa! Salvei nos favoritos e, na primeira oportunidade de visitar a Alemanha, vou ler novamente! Parabéns pelo post.

  4. Impressionante, parece um gigantesco jardim bem cuidado não é ? Mas não é natureza, claro que o gado ajuda hhehe olhem, vocês que viajam muito por estrada digam-me, proporcionalmente qual é o país com mais km de auto estrada ? haha desconfio que sei qual é a resposta…

  5. Que paisagens fabulosas! Adorava conhecer a Floresta Negra, parece impressionante mesmo. E as cidades que encontraram pelo caminho também parecem encantadoras, particularmente Triberg, de que honestamente nunca tinha ouvido falar e me despertou muita curiosidade!

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: