Viagem pela Serra do Gerês e Xurés com banhos quentes | Portugal e Espanha

Viagem de mota pela Serra do Xurés e Gerês | Portugal e Espanha

O Parque Nacional da Peneda Gerês está para Portugal, como o Parque Natural de Baixa Limia-Serra do Xurés está para Espanha. Visitar os dois é fundamental. A cumeada da montanha divide fronteiras, e o lado espanhol continua a ser um dos mais inexplorados. É nele que desta vez centramos uma rota que contempla maravilhas históricas, arqueológicas e gastronómicas. Ao longo de fabulosas estradas para percorrer de mota. Regressando com aquele sentimento de que fomos uma vez mais ao Norte de Portugal e Espanha, e conseguimos um novo roteiro por lugares nunca visitados.

Roteiro de viagem de mota pela Serra do Gerês e Xurés
Roteiro de viagem de mota pela Serra do Gerês e Xurés
Serra do Xurés
A Primavera na Serra do Xurés
Serra do Xurés
Albufeira do Salas, Xurés

Sobre a região

A Serra do Xurés é um parque natural espanhol que conjuntamente com o português Parque Nacional da Peneda Gerês integram uma reserva da biosfera. Situa-se a sul da província galega de Ourense, entre os concelhos de Entrimo, Lobios e Muinos, na vizinha Espanha até à fronteira com Portugal. Onde enquadra uma parte das regiões portuguesas de Trás os Montes e Minho.

Acompanhando o curso do grande Lima, sucedem-se albufeiras, lagos e lagoas em torno de bosques de folha caduca. Aqueles que no Outono e Primavera dão um toque de magia às paisagens, revestindo de cor e flor cada estrada que por eles nos permita mergulhar. Os habitantes da região, vivem em pequenos casarios de pedra. Aglomerados populacionais com os traços rudes de outros tempos, onde a agricultura e a pecuária são a actividade dominante. Aproveitam as terras para pastagens e cultivos, alternando-os com os pousios de centeio.

Baixa Límia Serra do Xurés
Baixa Límia Serra do Xurés

Na zona que integra a Serra do Xurês encontram-se as melhores termas naturais da província espanhola, com a particularidade histórica de se enquadrarem numa das rotas romanas da Ibéria. E outra da Pré-História com um conjunto arqueológico que comprova uma vez mais que, os nossos antepassados, eram exímios na escolha dos melhores lugares na natureza.

Esta é uma zona montanhosa onde o granito é a rocha predominante, assim como as únicas paisagens que só o ambiente granítico definem. Terras por onde um passeio será sempre garantia de coração, e barriga, bem cheios. Cheios de boas paisagens, de boas estradas e de boa comida. Dias depois de regressar, enquanto escrevo este artigo, ainda sinto aquele estômago embuchado de tanto abuso de comida deliciosa! Sempre a testar os limites das boas suspensões da mota.

Sobre o roteiro entre Portugal e Espanha

Saímos pela manha da Casa da Lata Agroturismo que elegemos para uma estadia de 2 noites para um roteiro circular na região. Uma quinta de turismo rural na região de Amares com o Parque Nacional da Peneda Gerês na sua vizinhança. Não é a primeira vez que visitamos a região e, por isso, naquela manhã em que o sol já nos ilumina com vigor, o nosso rumo leva-nos directamente ao lado espanhol e à Serra do Xurés.

Estão 10 graus às 9 da manhã. Abro a viseira do capacete para sentir aquele ar fresco a bater no rosto. A recém pavimentada estrada N101 que une Vila Verde a Ponte da Barca, faz as delícias do caminho mais directo, entre curvas e contra curvas por um túnel de vigoroso arvoredo. Espreitando sempre as latadas de videiras que na Primavera começam a despertar, e as esplendorosas glicínias que contornam de lilás muros e fachadas.

É quando encontramos a N203, que nos levará a Espanha em poucos quilómetros de muitas curvas, que o soberbo rio Lima dá o ar de sua graça. E se há um ano atrás, nesta mesma região, testemunhávamos uma das catástrofes ambientais que o esvaziamento severo da Barragem do Alto Lindoso provocou, um ano depois o nível das águas do Lima volta aos tempos áureos, depois um Inverno chuvoso. A vila de Aceredo que ficou então exposta, está novamente submersa pelo rio que flui vigoroso, de águas que espelham o céu azul e a vegetação em redor.

Entrada na Baixa Límia Serra do Xurês

Em cima de uma das mais altas pontes que conhecemos, paramos por momento para contemplar tamanha beleza natural. Nas águas do rio, o pólen amarelo dos pinheiros cria contornos únicos, anunciando com afinco que estamos em plena Primavera, e sua explosão de cor.

Os banhos termais de Lobios estão ali ao lado, mas esta rota é para lugares por nós inexplorados. Por sua vez, para quem ainda não conhece é um desvio recomendável. Seguimos para norte, e para a Bande, para conhecer o acampamento romano e termas romanas de águas quentes.

Rio Lima
Rio Lima

Aquis Querquennis, o acampamento militar romana em Bande

Aquis Querquennis foi um acampamento militar romano localizado em Os Banos, no concelho de Bande, Galiza. Ocupado até meados do século II, foi provavelmente construído como apoio à construção da Via XVIII que unia Bracara Augusta (Braga, Portugal) a Astúrica Augusta (Astorga, Espanha).

Os mestres arquitectos romanos construíram uma espaço de 3 hectares repleto de infra estruturas, de forma rectangular entre robustas muralhas. Torres defensivas ainda se distinguem entre as portas da muralha construída em granito, a litologia dominante na região. Está brilhantemente instalada nas margens do rio Lima, com uma exposição solar privilegiada, e próxima às nascentes termais de águas quentes da região.

Aqua Querquennis
Aqua Querquennis
Aqua Querquennis
Via Romana para Aqua Querquennis

Termas Romanas de águas quentes de Bande 

A uma curta distância de caminhada (ou de mota via estrada) de Aquis Querquennis, um dos mais bem preservados acampamentos romanos na Ibéria, estão as termas romanas de águas quentes com águas que ali jorram entre os 36º e 48º graus. Um elemento de vital importância para a civilização romana pelos efeitos terapêuticos e recreativos. Expostas ao ar livre, ainda hoje são usadas gratuitamente, e representam um dos ex líbris da província de Ourense.

Porque estão situadas nas margens do rio Lima, cujo caudal é directamente afectado pela Barragem das Conchas e Alto Lindoso, a maioria dos meses do ano encontram-se submersas. Assim, para garantir que a visita não seja em vão, recomenda-se que seja realizada no Verão ou no Outono.

Nós, que chegámos na Primavera, descobrimos ser cedo de mais para as apreciar. Deixando assim uma boa desculpa para voltar noutra estação. Aquelas toalhas e fato de banho na bagagem, revelaram a nossa elevada expectativa de mergulhar naqueles banhos quentes.

Foto de Viajar Galicia
Termas de Bande quando não estão submersas (Foto de Viajar Galicia)

Albufeira do Salas e a rota da Pré História no Xurés

O roteiro em torno do parque natural leva-nos agora pelas encostas serranas até à Albufeira do Salas. Por lá, e com os olhos postos no horizonte montanhoso do granito no Gerês, encontramos uma região repleta de dolmens e monumentos megalíticos. Aqueles lugares arqueológicos que nos encantam visitar porque sempre se localizam em cenários especiais.

Albufeira do Salas, Xurés
Albufeira do Salas, Xurés

Dolmen Casiña da Moura

Ao sair da aldeia de Maus de Salas, com as canelas inteiras depois de sermos perseguidos por um rafeiro mais enervado, viramos à direita e observamos o primeiro monumento megalítico que nos salta ao caminho: Dolmen Casiña da Moura. Um exemplo completo de uma anta com a câmara poligonal formada por sete lajes de granito, suportando uma outra laje de grandes dimensões. Este monumento megalítico, foi removido da sua localização original. Provavelmente por alguma intervenção na Barragem do Salas. Aquelas práticas que me custam a entender. Se estas construções são tidas como locais de sepulcro, quer dizer que levaram a campa e deixaram o defunto?

Numa visita num dia de sol radiante, o nosso passeio por entre estes pedregulhos teve um encontro imediato com uma cobra que apanhava banhos de sol tranquilamente. Vamos ali lavar as mãos àquele ribeiro? Dizia o João que não demorou muito a soltar um grito afeminado. Tal bicharoco, do qual não é muito fã, apanhou-o de desprevenido fitando-o com ar antipático.

A nossa visita pelos monumentos seguintes foi repleta de maior cuidado nos lugares onde metíamos as mãos. E é verdade que fui espreitar pela mota, braços de suspensão e rodas se não havia por ali uma prima à espera de boleia para umas belas curvas.

Dolmen Casiña da Moura
Dolmen Casiña da Moura

Mamoa Casola Do Foxo

Entre tantos outros dolmens/mamoas na região, a Mamoa da Casola do Foxo é a visita que se segue. Uma das que se encontra ainda muito próxima da sua estrutura original. Está inserida nas margens da barragem, com um deslumbrante vislumbre para um mágico horizonte. É Primavera sem dúvida. O Gerês e o Xurés, seja ele o espanhol ou o português, estão com a urze em flor. O lilás é agora a cor predominante.

A pequena estrada que ali nos leva, não se destaca pela qualidade do piso, ou pela particularidade de dar largas à condução. Por sua vez, compensa ao conduzir-nos para um cantinho inexplorado de paisagem de tirar o fôlego.

Mamoa Casola Do Foxo
Mamoa Casola Do Foxo
Mamoa Casola Do Foxo
Mamoa Casola Do Foxo

Foxo do Lobo do Salas

É também junto à Mamoa Casola do Foxo que está o Foxo do Lobo. Uma das muitas armadilhas que durante séculos foram utilizadas para caçar lobos. São geralmente encontradas com um formato de V, duas paredes que convergem num vértice e formam uma fossa. Mas a do Foxo do Lobo do Salas é circular, contrariando a tendência. Com altas paredes de pedra, o Foxo do Lobo foi construído de forma a que o animal pudesse facilmente entrar por um dos seus lados, mas impossível dele sair. Numa forma de poço.

Hoje em dia, o local foi restaurado e encontra-se preservado. Adicionando mais um lugar de interesse a uma rota de viagem de mota pela Serra do Xurés.

Foxo do Lobo do Salas, Xurés
Foxo do Lobo do Salas
Foxo do Lobo do Salas
Foxo do Lobo do Salas
Foxo do Lobo do Salas
Albufeira de Salas – Foxo do Lobo

Tourém e Pitões das Júnias, Terras de Barroso

De saída do espanhol Xurés, é na fronteira de Tourém que entramos novamente em Portugal. Com esperança de voltar a ver as varandas de casario de granito com o milho entrançado pendurado. Chegámos cedo demais. Imagino que só lá para o Verão se volte a apreciar a arte de entrançar o milho, expondo-o nas fachadas soalheiras das casas, para que seque correctamente.

Milho entrançado em Tourém
Milho entrançado em Tourém (Junho 2020)

O rumo é à aldeia de Pitões das Júnias no concelho de Montalegre. Instalada num planalto do Gerês Transmontano e Terras de Barroso, um dos melhores restaurantes da região que faz-nos lá voltar em todas as vezes que estamos na vizinhança: Restaurante Casa do Preto.

No nosso roteiro de 5 dias pelo Parque Nacional da Peneda Gerês, já referimos que se visitar Pitões das Júnias é obrigatório fazer a caminhada para o Mosteiro de Santa Maria das Júnias, os passadiços para a Cascata de Pitões das Júnias e a Aldeia Velha do Juriz.

É final de tarde e hora de terminar o dia no mesmo lugar onde começou. Seguimos pelo traçado da CM1276. Um itinerário menos conhecido que acompanha o curso do Cávado no alto da montanha. Na outra margem, está a N103 cujo traçado ali é, para nós, menos sugestivo. Encontra-se entre muitos aglomerados populacionais movimentados e isso tira sempre o encanto a quem viaja de mota para apreciar paisagens.

Sugestão de alojamento

Apesar da maioria desta rota se basear principalmente em Espanha, quando se tratam de destinos próximos da fronteira é sempre a Portugal que damos prioridade para o alojamento e refeições. Este foi um tour circular de um dia, num roteiro total de 3 dias a partir da nossa casa no centro do país. A Casa da Lata Agroturismo foi o local eleito. Pelo ambiente acolhedor e tranquilo, assim como a qualidade de todos os serviços e refeições.

Reserva aqui a Casa da Lata Agroturismo

Sugestão de restaurantes neste roteiro

Viajar pelo Norte de Portugal é fazer uma viagem pela maravilhosa gastronomia portuguesa. Estes foram os locais eleitos na nossa visita a região, aos quais voltaremos sempre que possível. Dada a elevada procura, sugerimos que reservem mesa.

 

Mapa do percurso pela Baixa Límia Serra do Xurés

Para consultar o mapa em detalhe, clique sobre ele ou utilize o canto superior direito para abrir directamente na página do Google Maps. Poderá fazer o zoom necessário para ver a rota em pormenor ou exportar para o GPS como preferir. Clicando no canto superior esquerdo, é também possível ler a legenda do mapa em detalhe. Pretende utilizar este mapa no seu aparelho de navegação e não sabe como o fazer? Consulte aqui o nosso artigo já publicado.

  • Locais de interesse histórico e natural
  • Restaurantes
  • Alojamentos

Procura um roteiro de mais dias pelo Parque Nacional da Peneda Gerês? Consulte aqui o nosso artigo já publicado:

Roteiro de 5 dias de viagem de mota pelo Parque Nacional da Peneda Gerês

Se gostou deste artigo e souber de alguém que também possa gostar, partilhe clicando no botão das redes sociais abaixo. Estará a ajudar-nos a divulgar e a continuar a nossa existência. O nosso muito obrigado desde já e boas curvas!

🗺️ A preparar a próxima viagem de mota?

♦Gostamos de viajar tranquilos. Como tal, em todas as nossas viagens além fronteiras, contratamos sempre um seguro de viagem que se enquadre no nosso perfil de viajantes aventureiros e independentes. Através da HeymondoIATI encontramos boas opções para motociclistas (e não só). Ambas com excelentes propostas e com descontos ao seguir os nossos links: Link 5% desconto Heymondo e Link  desconto 5% Iati

♦Reserve as suas estadias através do Booking.com. Por lá encontramos sempre as melhores promoções e têm a facilidade de cancelamento gratuito.

♦Pagamentos no estrangeiro sem taxas e comissões? É fazer um cartão recarregável como o nosso! Abre grátis uma conta moey, por videochamada ou Chave Móvel Digital. Utiliza o nosso código e ganha 10 €. Começa logo a usar, sem custos e com cartão virtual e físico gratuito enviado para a morada de registo. Acede ao link aqui e associa o teu número antes de abrires conta.

♦ Gostaria de fazer um dos nossos roteiros mas não tem mota? Ou prefere optar por alugar uma por uns dias? Utilize os serviços da Motorentour e encontrará uma frota de várias motas prontas para seguir uma aventura e uma equipa profissional  para dar solução às suas necessidades.

♦Sejam pequenas ou grandes travessias, se precisa de comprar uma viagem de ferry para a sua próxima viagem recomendamos que utilize o DirectFerries.pt. Permite comparar os preços e horários das diferentes companhias e é por lá que encontramos os melhores preços.

♦Para alugar carro ou mota em qualquer destino, sugerimos o site de reservas Discover Cars. Uma plataforma que apresenta todas as opções e empresas disponíveis e tem facilidade e flexibilidade nas reservas.

Esta página contém links afiliados. Ao efectuar as suas reservas através destes links recebemos com uma pequena comissão. Não pagará mais por isso e estará a ajudar o blogue Quilómetro Infinito a continuar a sua existência. Muito obrigado!

9 Replies to “Viagem pela Serra do Gerês e Xurés com banhos quentes | Portugal e Espanha”

  1. Bela rota sem dúvida! É dos nossos preferidos aqui no nosso “quintal”. Outra sugestão era descer pela Mata da Albergaria, mas agora com a 101 “fresquinha” é difícil a escolha 😀

    1. quilometroinfinito says: Responder

      A Mata da Albergaria é sempre a mais bonita opção. Se não for feriado, ou fim de semana de grande movimento. Senão, de mota, é para fugir ehhe Da confusão e dos carros. Boas curvas e obrigado 😉

  2. EDUARDO MENDONCA says: Responder

    Parabéns.
    Mais um excelente roteiro, que mostra que boas curvas, boas paisagens, bons alojamentos e gastronomia, podem estar ao alcance de todos.
    Continuem a divulgar opções, roteiros e conselhos.

    1. quilometroinfinito says: Responder

      Muito obrigado Eduardo! É mesmo verdade, vivemos aqui neste cantinho da Ibéria que nos permite andar de mota o ano todo e ao alcance de tanta coisa boa. Boas curvas

  3. Roteiro espetacular e altamente inspirador para quem pretende aventuras com paisagens dinâmicas e únicas, aliadas a uma viagem de duas rodas 😎 Quilómetro Infinito sempre a considerar e a pontuar no que respeita à originalidade dos percursos com boa gastronomia e ao que de melhor temos no nosso país. ✌😉

    1. quilometroinfinito says: Responder

      Muito obrigado Telma! Só para dizer que regressei há 4 dias e ainda estou com a barriga cheia lol que abuso! O que mais me custa quando saio do país é a falta da nossa comida maravilhosa. E neste roteiro isso não faltou. Muito boas curvas e obrigado pela mensagem

  4. Roteiro impecável e muito informativo. Muito bom!
    Este é o meu ‘recreio’ quando não posso ir muito longe. E que ‘recreio’ ele é.
    Obrigado

  5. Roteiro impecável e muito informativo.
    Este é o meu ‘recreio’ quando não posso ir muito longe. E que ‘recreio’ ele é!
    Obrigado.

    1. quilometroinfinito says: Responder

      É um belo recreio com certeza! Muito obrigado e muito boas curvas por esse recreio e muitos outros 🙂

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Quilómetro Infinito