De Ponferrada a Peñalba de Santiago pela rota panorâmica do Valle del Silencio (e arredores) | Espanha

Valle del Silencio, Ponferrada

Há lugares onde o tempo recua, o ruído desaparece e a estrada nos abre os caminhos de outrora para os cantinhos remotos deste mundo. A poucos quilómetros da cidade de Ponferrada, na região espanhola de Castilla y León, percorremos o caminho para o mágico Valle del Silencio, que muito recomendamos.

Um vale único, rodeado de imponentes montanhas salpicadas de neve, apresenta-nos uma charmosa e estreita estrada que avança gradualmente na floresta, acompanhada do chocalhar das águas do rio Oza e seus inúmeros afluentes. Irrigadas por centenas de linhas de água, foi destas montanhas que os romanos forneceram água para a exploração da mina de ouro de Las Médulas, a uma curta distância, do outro lado da cordilheira.

Nesta zona em particular, Castilla y León que até então imaginávamos apenas feita de longos planaltos monótonos, surpreende-nos com uma região montanhosa onde as estradas panorâmicas se multiplicam. Muitas vezes, em altitudes que superam a nossa Serra da Estrela, a montanha mais alta de Portugal continental, quem diria que aqui ao lado, para lá da fronteira portuguesa há um parque de diversões motociclístico fabuloso.

Da grande cidade de Ponferrada às pequenas aldeias do Valle del Silencio

Ponferrada

Todos os caminhos vão dar a Ponferrada. Situada no noroeste de Espanha, Ponferrada foi uma cidade que cresceu na época da ocupação romana da península ibérica. Na época, a construção de uma ponte e uma pequena fortificação romana, atraiu povoadores atribuindo importância ao local que cresceu ao longo dos séculos. Mais tarde, na época da reconquista cristã, a localidade foi integrada na rota dos Caminhos de Santiago de Compostela, atraindo até hoje peregrinos vindos com devoção dos mais variados locais.

No início do século XII o rei D.Fernando II de León doou a cidade e seus domínios aos Cavaleiros da Ordem dos Templários, encarregados de defenderem os peregrinos na região. Assim, a primitiva construção romana em ruínas, foi reconstruída e ampliada pelos monges cavaleiros e permanece até hoje como a imagem da cidade: o Castelo Templário de Ponferrada. É impossível dissociar Ponferrada do seu castelo e pelas ruas que o circundam, encontramos um percurso citadino pitoresco, de ruas coloridas e do estilo medieval por onde um pequeno passeio é obrigatório.

Castelo Templário de Ponferrada
Castelo Templário de Ponferrada
Ponferrada
No centro histórico de Ponferrada
Castelo de Ponferrada
Castelo de Ponferrada

🏰 O que visitar em Ponferrada?

  • Castelo dos Templários
  • Torre do Relógio
  • Museu del Bierzo
  • Basílica Nuestra Señora de la Encina
  • Plaza Ayuntamiento

🍽️ Onde comer em Ponferrada?

Existem muitos restaurantes tradicionais na cidade e em torno do centro histórico. Durante a nossa estadia na cidade chamou-nos à atenção o edifício onde se encontra o restaurante italiano Pizzeria Trastevere e foi por lá que jantámos. Junto à Torre do Relógio, uma das principais atracções da cidade, as terras podem ser espanholas mas neste italiano encontrámos um jantar bem apetitoso!

Para a hora do lanche ou do pequeno almoço, com vista para o Castelo dos Templários está a Cafeteria Liébana Ecoffee com produtos frescos e muito saborosos. Um espaço moderno e de vistas arejadas onde um capuccino ou um chocolate quente e churros sabem sempre bem.

🛏️ Onde dormir em Ponferrada?

Hotel El Castillo, foi a nossa opção. A excelente localização no centro histórico e a garagem privada para a mota tornam este hotel uma excelente opção de alojamento. Cerca de 50 Eur/ noite. Clique aqui para mais informações sobre o Hotel El Castillo ou procurar outros alojamentos na cidade.

A caminho do Valle del Silencio

San Esteban de Valdueza, Valdefrancos e San Clemente de Valdueza

Deixando Ponferrada para trás, na hora de rumar às montanhas, o percurso é feito por uma rota panorâmica de variedades e maravilhas naturais. A estrada avança por entre montes e colinas, revestidos de arbustos rasteiros, vinhedos e amendoeiras que na Primavera se enchem de flores.

San Esteban de Valdueza
Amendoeiras em flor em San Esteban de Valdueza
San Esteban de Valdueza
San Esteban de Valdueza
San Esteban de Valdueza
De Ponferrada a San Esteban de Valdueza

San Esteban de Valdueza é a primeira pequena aldeia, instalada no vale verdejante, que nos leva a iniciar a viagem no tempo. Seguem-se Valdefrancos e San Clemente de Valdueza que anunciam a entrada em breve no Valle del Silencio. Feitas de paredes de xisto em meia dúzia de casas, são rodeadas pelos pequenos meandros férteis do rio que agora flui vigoroso.

A partir deste ponto, a entrada na floresta é imediata. A estrada fica mais estreita e sinuosa e gradualmente conquista altitude com a graciosidade de um pavimento soberbo. Pena as curvas demasiado apertadas, que exigem uma condução técnica e não nos deixam libertar da possibilidade de a qualquer momento nos cruzarmos com alguém no sentido oposto.

Imediatamente ao nosso lado está o rio, de margens desalinhadas, repletas de calhaus e troncos de árvores, que nos dão  entender que por lá há dias em que a força das águas domina a passagem.

A floresta começa a desaparecer com o ganho de altitude, o que nos permite apreciar o vale do rio Oza dos seus pontos de vista mais fantásticos. Seguimos entusiasmados e concentrados em seguir sobre rodas por tamanho espectáculo natural.

San Clemente de Valdueza
San Clemente de Valdueza
A caminho do Valle del Silencio
A caminho do Valle del Silencio
A caminho do Valle del Silencio
A caminho do Valle del Silencio

O fim da estrada: a pequena aldeia de Peñalba de Santiago

Chegados a Peñalba de Santiago estamos com as duas rodas numa graciosa aldeia aninhada entre duas imponentes montanhas. Seguimos a caminhando pelo charme das suas ruas estreitas, entre casas de telhados de ardósia. Encontramos uma pequena aldeia, completamente reformada e voltada para o turismo, com várias acomodações rurais e restaurantes. De trânsito proibido, a nossa mota fica estacionada no parque de visitantes da aldeia, de onde as vistas são sublimes.

Considerada como um dos Pueblos Bonitos de Espanha é dela que contemplamos as montanhas que anunciam oficialmente a chegada ao Valle del Silencio. Local onde inúmeros trilhos pedestres se iniciam e levam a conhecer todos os segredos da região. A Cueva de San Genadio é um deles. Acessível após uma caminhada, a fazer fora dos nossos fatos de motociclistas, talvez numa próxima visita.

Peñalba de Santiago
Valle del Silencio, em Peñalba de Santiago
Peñalba de Santiago. valle del silencio
Pelas ruelas de Peñalba de Santiago
Peñalba de Santiago
Peñalba de Santiago
Peñalba de Santiago
Ruelas de Peñalba de Santiago

Igreja Santiago de Peñalba

No meio da aldeia, chegamos à igreja moçárabe de Santiago de Peñalba. No Valle del Silencio, esta região é também conhecida como ”La Tebaida Berciana”, pela abundância de mosteiros, igrejas e santuários datados do século VIII. Preservada, misteriosa e no centro da aldeia, por detrás dos seus muros séculos de História se encontram. Seguimos de lá para a próxima aldeia e seu mosteiro: Montes de Valdueza.

Igreja moçárabe de Santiago
Igreja moçárabe de Santiago de Peñalba

Montes de Valdueza

A ida a Montes de Valdueza é mais uma constatação de que um roteiro de um motociclista é tudo menos linear. Situada no final de uma estrada sem saída (termina num trecho por enquanto não pavimentado), obriga-nos a percorrer de volta o mesmo caminho do que para lá chegar. Mas e depois? O registo da estrada continua semelhante ao até então: estreito, sombrio, de boa qualidade e de vistas divinais.

Em Montes de Valdueza encontramos um monumental mosteiro de construção original no ano 635. O Mosteiro de San Pedro de Montes foi outrora o mais poderoso dos mosteiros a dominar a região. Hoje entregue ao abandono, encontra-se parcialmente em ruínas estando apenas a igreja do mosteiro preservada.

Mosteiro de San Pedro De Montes
Mosteiro de San Pedro De Montes
Estrada de acesso ao Mosteiro de San Pedro de Montes
Estrada de acesso ao Mosteiro de San Pedro de Montes
A caminho do Valle del Silencio
Estrada de acesso ao Mosteiro de San Pedro de Montes

San Cristóbal de Valdueza, do outro lado do Valle del Silencio

Na preparação da viagem pelo Valle del Silencio e até Peñalba de Santiago, não nos foi clara a percepção de que esta aldeia teria uma saída mais directa do que evitar voltar para trás todo o percurso até aos arredores da cidade de Ponferrada. Por isso, e porque a rota panorâmica para nós por aqui se prolonga, regressámos a Ponferrada para percorrer a estrada de montanha até San Cristóbal de Valdueza. Outra aldeia tradicional, situada na cumeada de uma montanha e com vistas priveligiadas para os largos horizontes que de lá se observam.

No entanto, em Peñalba de Santiago, foi-nos possível verificar que obras de pavimentação decorreram recentemente e que será agora possível cruzar a montanha por uma estrada em formato curvilíneo até ao topo. Avançamos por alguns quilómetros e encontrámos um balcão panorâmico natural.

A caminho do Valle del Silencio
A caminho do Valle del Silencio. El Mirador

Estrada LE-CV-192/21 entre Salas de los Barrios a Corporales

Carretera é como de diz estrada em espanhol. Mas esta não é apenas mais uma estrada! É uma estrada montanhosa, de panoramas arrebatadores (em especial na Primavera com o urze a revestir as montanhas de lilás) que, apesar das más condições do seu pavimento, une entre mil e uma curvas a pequena aldeia de Salas de Los Barrios a Corporales. Com passagem na estância de ski El Morredero, é um percurso íngreme e sinuoso, com locais onde a inclinação supera os 15%

Com uma reputação de percurso perigoso por ser alvo de tempestades de neve imprevisíveis, será necessário avaliar muito bem as condições climatéricas antes de iniciar o percurso, pois uma vez por lá, os quilómetros que se seguem serão longe de qualquer infra-estrutura. Está aberta ao trânsito por todo o ano, podendo encerrar por curtos períodos no Inverno por causa da neve. E do alto dos seus 1957 metros de altitude, encontramos uma rota que nos remete às paisagens alpinas.

Isolada, deserta e rodeada de uma paisagem de vegetação rasteira, que revela que por ali o gelo impede o crescimento de outro tipo de vegetação, pela estrada LE-CV-192/21, a viagem será em modo relaxado.

Estrada LE-CV-192/21 entre Salas de los Barrios a Corporales
Estrada LE-CV-192/21
Estrada LE-CV-192/21
Picos Nevados na Estrada LE-CV-192/21
Estrada LE-CV-192/21
Melhores estradas de Espanha: Estrada LE-CV-192/21

As montanhas que separam a Província de León da Provincia de Zamora

Entre as pequenas aldeias serranas de Truchas, Truchillas e Escuredo está o percurso que separa as montanhas que delimitam as províncias de Léon e Zamora. A pouca informação sobre a região prevalece e a dúvida sobre se o percurso pelas estradas ZA-P-2665 e CV-230-2 seria totalmente pavimentado, fez-nos avançar com prudência. Afinal a nossa viagem foi feita com uma mota não permissiva a percursos de aventura off road.

A fraca qualidade do piso, os pequenos deslizamentos de terras que se encontram pelo caminho, as ervas que crescem descontroladas nas bermas, indicam-nos que por ali o movimento é praticamente inexistente. Por sua vez, os panoramas recompensam a dificuldade do traçado e presenteiam-nos algumas das paisagens mais belas do Norte de Espanha. O nosso rumo levou-nos ao Parque Natural do Lago de Sanabria, o maior lago de origem glaciar da ibéria.

Gostava de consultar um roteiro pelo Lago de Sanabria? Veja aqui um dos nossos artigos anteriormente publicados

Estrada ZA-P-2665
Escuredo – Estrada ZA-P-2665
ZA-P-2665
Truchillas – Estrada ZA-P-2665

Informações práticas sobre um percurso pelo Valle del Silencio

Dicas práticas: Estradas e serviços

  • As estradas na região são, na sua maioria, recém pavimentadas e de traçado excepcional. Na região particular do Valle del Silencio, apesar da boa qualidade do pavimento, os percursos são estreitos, sinuosos e inclinados. Exigem por isso um cuidado particular na condução e demorarão mais tempo a percorrer.
  • Se viaja para esta região na época fria (Novembro a Abril), será necessário antever que nas zonas sombrias das estradas a presença de água e gelo obriga a uma condução mais cuidadosa e de menores velocidades.
  • Abasteça com boas margens de autonomia, pois em alguns trechos deste roteiro, percorremos muitos e muitos quilómetros sem encontrar um único posto de abastecimento. Se vai entrar num percurso de montanha, abasteça a sua mota.
  • Além do combustível para a mota, se viaja em época baixa ou fora dos fins de semana, os poucos serviços que encontrará terão uma forte probabilidade de estar encerrados. Assim sugerimos que nas malas da mota comida e bebida façam parte das bagagens sempre!
Estrada LE-CV-192/21
Paragem para almoço: Estrada LE-CV-192/21

Quando ir

Visitámos a região no final do Inverno, em jeito de viagem de última hora e consultando as previsões que anunciavam uma temperatura  atípicamente primaveril. No entanto, para uma viagem programada com alguma antecedência, a melhor época para visitar a região será entre Abril a Junho e Setembro a Novembro. Meses coincidentes com a Primavera e Outono, alturas do ano em que as temperaturas estarão mais amenas e a época de chuvas dá uma trégua.

Nos meses de Verão, as temperaturas facilmente superam os 35º o que torna um passeio de mota pela região mais cansativo e desgastante, assim como as caminhadas necessárias a explorar alguns locais.

Por sua vez, nos meses de Inverno as temperaturas rondam os 0º ou menos nos períodos da noite. O que faz com que o gelo nas estradas torne perigosa uma viagem de mota pela região. Em especial nas zonas sombrias onde o gelo nunca derrete ao longo do dia. Em alguns locais, como o acesso a Peñalba de Santiago e a passagem pela estrada LE-CV-192/21 poderão estar temporiamente encerrados devido à queda de neve.

Mapa do Percurso

Para consultar o mapa em detalhe, clique sobre ele ou utilize o canto superior direito para abrir directamente na página do Google Maps. Poderá fazer o zoom necessário para ver a rota em pormenor ou exportar para o GPS como preferir. Clicando no canto superior esquerdo, é também possível ler a legenda do mapa em detalhe. Aqui incluem-se as seguintes informações:

  • Locais de interesse histórico e natural
  • Restaurante
  • Alojamento

Total de quilómetros:  250 km

Tempo mínimo sugerido: 1 dia (6 horas de condução)

Enquadramento num roteiro de viagem de mota pela região:

⬅️ Etapa anterior: Visitar Las Médulas e as terras vermelhas de El Bierzo em Ponferrada | Espanha

➡️ Etapa seguinte: Parque Natural do Lago de Sanabria | Espanha

Se gostou deste artigo e souber de alguém que também possa gostar, partilhe clicando no botão das redes sociais abaixo. Estará a ajudar-nos a divulgar e a continuar a nossa existência. O nosso muito obrigado desde já e boas curvas!

🗺️ A preparar a próxima viagem de mota?

♦Reserve as suas estadias através do Booking.com. Por lá encontramos sempre as melhores promoções e têm a facilidade de cancelamento gratuito.

♦Gostamos de viajar tranquilos. Como tal, em todas as nossas viagens além fronteiras, contratamos sempre um seguro de viagem que se enquadre no nosso perfil de viajantes aventureiros e independentes. Seja através da World Nomads ou da IATI encontrará boas opções para motociclistas. A IATI têm excelentes preços, atendimento em português e seguindo o nosso link ainda terá um desconto de 5%.

♦Sejam pequenas ou grandes travessias, se precisa de comprar uma viagem de ferry para a sua próxima viagem recomendamos que utilize o DirectFerries.pt. Permite comparar os preços e horários das diferentes companhias e é por lá que encontramos os melhores preços.

Esta página contém links afiliados. Ao efectuar as suas reservas através destes links recebemos com uma pequena comissão. Não pagará mais por isso e estará a ajudar o blogue Quilómetro Infinito a continuar a sua existência. Muito obrigado!

2 Replies to “De Ponferrada a Peñalba de Santiago pela rota panorâmica do Valle del Silencio (e arredores) | Espanha”

  1. Mais uma Excelente Crónica, ainda por cima, de um Roteiro tão próximo de Portugal. Passei no extremo Sul do V. percurso, Puebla de Sanabria, quando em Agosto fiz com uns Amigos o Iron Butt, mas aí o objectivo era “fazer” 2.000 km, em menos de 24h. Muito Obrigado aos Câmara pela Partilha dos Vs. Excelentes Passeios e Crónicas. Nós vamos ficando atentos, à espera dos próximos!

    1. quilometroinfinito says: Responder

      Muito obrigado José Morgado! Sempre desse lado   Boas curvas! Beijinho e abraço!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: