Nas margens do rio Guadiana pela Estrada M507: de Alcoutim a Foz de Odeleite | Melhores estradas de Portugal

Nas margens do rio Guadiana pela Estrada M507

Num pacato cenário de beleza estonteante, no vale que o Guadiana moldou e bordejou de sublimes colinas, esconde-se um dos mais belos percursos ribeirinhos de Portugal. Aquela que outrora fora a única estrada que entre Alcoutim e Odeleite, ficou agora esquecida no tempo com a construção de percursos mais modernos. E, por lá encontrámos uma das melhores estradas para percorrer de mota no país: a estrada M507.

Estrada M507
Nas margens do Guadiana, pela Estrada M507
Estrada M507
Marco da Estrada M507, Alcoutim

Sobre a região

Estamos no interior Sul de Portugal, por terras da região do Algarve, onde os extensos areais ficam para trás, o solo se enruga e ganha elevação. Amendoeiras, azinheiras, sobreiros, figueiras, estevas e muitas flores silvestres atapetam o ponto fronteiriço onde acaba o Algarve e o Alentejo se estende para norte. Nesta região em particular, encontramos o vale do rio Guadiana que separa Portugal de Espanha. E, se por aqui destacamos o percurso por estrada entre Alcoutim e Odeleite, o Guadiana já há muito que adorna a paisagem fronteiriça, desde a sua entrada em Elvas, alargando o seu curso no Grande Lago do Alqueva, atravessando o Parque Natural do Guadiana até desaguar no Atlântico, em Vila Real de Santo António. Mas é apenas neste troço em particular, que a passagem por estrada pavimentada acompanha as suas margens mais de perto e por maior extensão, fazendo-nos sentir que navegamos em terra.

O percurso ribeirinho da Estrada M507

O percurso pela estrada M507 atravessa o município de Alcoutim, a vila à beira rio. O pequeno povoado raiano português, limitado a Norte por Mértola, e a Sul por Castro de Marim. Do outro lado da margem, está o povoado espanhol de Sanlúcar de Guadiana. Ali,  em Alcoutim, acessível por uma pequena embarcação que transporta apenas passageiros. Uma desculpa para um passeio pelo rio.

A maioria das localidades atravessadas pela estrada M507, está coroada por fortalezas que defenderam o território contra as ameaças invasoras do passado, como o Castelo de Alcoutim e o Castro de Santa Bárbara e Castelo Velho. Por sua vez, nesta curta rota, encontram-se também núcleos monumentais que nos confirmam a presença humana nas suas terras desde tempos tão distantes como a época megalítica, continuando para a ocupação romana da Ibéria. Assim o confirmam os Menires do Lavajo e a Vila Romana do Montinho das Laranjeiras, incluídos na rota. Confirmando uma vez mais, a sabedoria imensa dos nossos antepassados, que sabiam como ninguém, instalar-se em privilegiados locais do mundo.

Sanlúcar do Guadiana
Sanlúcar do Guadiana, visto de Alcoutim
Estrada M507
Alcoutim

Estrada M507: De Santa Marta a Alcoutim

Deixamos para trás o curvilíneo percurso da N122, desde Mértola, e nos arredores da povoação de Santa Marta, seguimos a sinalética para a estrada M507. Ali é local ideal para conciliar a passagem pelos Menires do Lavajo e o Castelo Velho de Alcoutim/Castro de Santa Bárbara. A localização fora de estrada e o estado do acesso, fez-nos deixar a visita para uma próxima oportunidade.

No ocre escuro dos montes, a paisagem é preenchida pelas estevas e campos de pequenos pinheiros mansos entre as muitas curvas de que o percurso é feito. Em altitude, avançamos entre curva e contra curva pelas encostas de socalcos serranos, avistando ao fundo o povoado caiado de branco que à beira rio de instala: Alcoutim.

Entrada norte na Estrada M507, Alcoutim
Entrada norte na Estrada M507, Alcoutim
Entrada norte
Estrada M507, Alcoutim

Estrada 507: De Alcoutim a Odeleite

É a partir de Alcoutim que o Guadiana nos acompanha na totalidade da rota. Agora, ao ocre das montanhas acrescenta-se o azul do rio emoldurado pela frescura de uma abundante vegetação ribeirinha. Ali, instalam-se nos solos férteis da beira rio, muitas hortas e pomares das mais variadas espécies.

À paisagem de estevas e pinheiros, juntam-se agora as azinheiras, os limoeiros, as laranjeiras, as figueiras, alfarrobeiras, amendoeiras, entre muitas outras espécies que prosperam em tão rico solo. As flores silvestres tomam o restante espaço e, em pleno Inverno, são os milhares de amendoeiras em flor que nos saltam ao caminho que pintam a paisagem de um rosa suave. Aqui encontramos na natureza uma imensa tranquilidade para apreciar o espéctaculo natural em redor.

Pontualmente, atravessamos os povoados perdidos pelas serranias onde o casario é construído alternando as paredes de xisto com a brancura da cal. A vida corre devagar, devagarinho. Os veleiros, pequenas  e grandes embarcações navegam rio acima, rio abaixo. Umas lançam âncoras nos seus meandros e por ali permanecem fluindo na tranquilidade das suas águas. Abrimos a viseira do capacete e a leve brisa ribeirinha faz-se sentir no nosso rosto. Seguimos sobre rodas de olhos postos no rio, até encontrar a Foz de Odeleite, um dos afluentes do Guadiana que também ali terminam o seu curso. Tal como a estrada M507.

A sul de Alcoutim, pela M507
A sul de Alcoutim, pela M507. Margens do Guadiana
A sul de Alcoutim, pela M507. Margens do Guadiana
Margens do Guadiana. Estrada M507
A sul de Alcoutim, pela M507. Margens do Guadiana
Miradouros pela M507
Vila Romana Montinho das Laranjeiras
Vila Romana Montinho das Laranjeiras

A passagem por esta estrada é compatível com um roteiro de viagem de mota pelo Parque Natural do Vale do Guadiana, com passagem por Mértola, onde termina o troço navegável do Guadiana, Cais do Pomarão e pelas Minas de São Domingos e sua peculiar paisagem.  Para mais informações consulte o roteiro:

Roteiro pelo Parque Natural do Guadiana: Mértola e Minas de São Domingos

Alojamento em Alcoutim

Restaurantes em Alcoutim

Mapa detalhado da Estrada M507 pelas margens do rio Guadiana

Para consultar o mapa em detalhe, clique sobre ele ou utilize o canto superior direito para abrir directamente na página do Google Maps. Poderá fazer o zoom necessário para ver a rota em pormenor ou exportar para o GPS como preferir. Clicando no canto superior esquerdo, é também possível ler a legenda do mapa em detalhe. Pretende utilizar este mapa no seu aparelho de navegação e não sabe como o fazer? Consulte aqui o nosso artigo já publicado.

  • Percurso total: 30 km

Se gostou deste artigo e souber de alguém que também possa gostar, partilhe clicando no botão das redes sociais abaixo. Estará a ajudar-nos a divulgar e a continuar a nossa existência. O nosso muito obrigado desde já e boas curvas!

🗺️ A preparar a próxima viagem de mota?

♦Reserve as suas estadias através do Booking.com. Por lá encontramos sempre as melhores promoções e têm a facilidade de cancelamento gratuito.

♦Gostamos de viajar tranquilos. Como tal, em todas as nossas viagens além fronteiras, contratamos sempre um seguro de viagem que se enquadre no nosso perfil de viajantes aventureiros e independentes. Seja através da World Nomads ou da IATI encontrará boas opções para motociclistas. A IATI têm excelentes preços, atendimento em português e seguindo o nosso link ainda terá um desconto de 5%.

♦Sejam pequenas ou grandes travessias, se precisa de comprar uma viagem de ferry para a sua próxima viagem recomendamos que utilize o DirectFerries.pt. Permite comparar os preços e horários das diferentes companhias e é por lá que encontramos os melhores preços.

Esta página contém links afiliados. Ao efectuar as suas reservas através destes links recebemos com uma pequena comissão. Não pagará mais por isso e estará a ajudar o blogue Quilómetro Infinito a continuar a sua existência. Muito obrigado!

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: